A CDU apresentou, na manhã deste sábado, 22 de maio, os seus candidatos à Câmara e Assembleia Municipal. Para a Câmara a aposta recai em João Marques, professor da Pampilhosa. Para a Assembleia Municipal, João Louceiro, atual eleito, «representa a garantia de continuidade do bom trabalho realizado até aqui», enaltece, em comunicado, a Comissão Concelhia da Mealhada do Partido Comunista Português.

João José Pereira Marques tem 46 anos de idade. É licenciado em Matemática, ramo de Formação Educacional, e também em Informática – via Ensino e Mestre em Administração e Organização Escolar. É professor de Matemática do 3.º ciclo e secundário do quadro do Agrupamento de Escolas José Saramago – Poceirão – Palmela. Atualmente é diretor pedagógico de uma escola particular. É membro do PCP. Foi eleito recentemente para a direção do Sindicato dos Professores da Região Centro. Foi presidente da direção do CAPP, IPSS da Pampilhosa.

João Manuel Lima Louceiro tem 60 anos, e reside na Pampilhosa. É licenciado em Biologia, Ramo Educacional, professor de ciências da natureza e matemática do 2.º ciclo do ensino básico dos quadros do Agrupamento de Escolas da Mealhada. É dirigente sindical eleito do Sindicato dos Professores da Região Centro. Como sindicalista, e para além do trabalho no SPRC, tem também várias funções na FENPROF e no conselho nacional da CGTP-IN. É militante do Partido Comunista Português e, atualmente, é o eleito do PCP na Assembleia Municipal da Mealhada.

“Para além dos candidatos, estiveram também presentes Mafalda Guerreiro, do comité central do PCP, e Júlio Costa, mandatário da candidatura. A CDU afirma-se mais uma vez como um projeto alternativo de gestão autárquico que se distingue do atual poder em diversos aspetos. Distingue-se desde logo pelo seu projeto assente em valores de esquerda. Mas distingue-se também pela forma de exercício do poder autárquico. Tal como João Marques afirmou na sua intervenção, a CDU rejeita a ideia segundo a qual não há ideologias no poder local”, lê-se no comunicado de imprensa do PCP.

Na intervenção final, João Marques elencou aquelas que serão as 4 prioridades da CDU para o próximo mandato: «A primeira diz respeito à habitação, onde a CDU se compromete a criar um amplo e reforçado programa de apoio à reabilitação de casas degradadas. O atual programa não passa de uma farsa como atestam de resto o índice de realização e os montantes envolvidos. Além disso, a CDU irá avançar com um estudo por forma a identificar locais passíveis de acolher programas de habitação a custos controlados com vista à fixação de jovens. A segunda prioridade tem a ver com transportes públicos e mobilidade sustentável. Ligar as freguesias ao centro e melhorar a ligação da Mealhada aos concelhos vizinhos será uma prioridade, procurando assim aproveitar a excelente posição de charneira do concelho entre norte e sul, e interior litoral. Isto só será possível valorizando a ferrovia (incluindo ramal da Figueira que a Câmara quer substituir por uma ciclovia) e apostando na mobilidade elétrica. O terceiro eixo consiste na criação de um plano estratégico de alimentação sustentável assente na valorização da pequena e média agricultura e dos circuitos curtos de produção e comercialização. Neste capítulo a CDU compromete a dinamizar um gabinete de apoio orientado exclusivamente para a ajuda dos produtores no acesso aos fundos europeus. Finalmente a quarta prioridade prende-se com uma estratégia de promoção do concelho à escala nacional e internacional, com base nos principais ativos do concelho cuja importância extravasa claramente os limites concelhios. Estamos a falar do complexo termal do Luso, da serra do Buçaco e do Leitão da Bairrada. Estamos a falar de um enorme potencial de desenvolvimento que, por falta de visão estratégico desta Câmara, está muito aquém do que a Mealhada merece».