O Conselho Intermunicipal da CIM Região de Coimbra apoia a moção do Município de Cantanhede contra a atribuição de direitos de prospeção e pesquisa de depósitos minerais de caulino no concelho, rejeitando a implementação do projeto.

As intervenções, requeridas pela firma Silver Sand — Areias e Argilas, ficam situadas em três freguesias do Município de Cantanhede e tiveram parecer favorável da Direção-Geral de Energia e Geologia. A presidente do Município de Cantanhede, Helena Teodósio, referiu que, tendo em consideração a extrema proximidade com a Nascente dos Olhos da Fervença, onde é captada água para abastecimento de todo o concelho de Cantanhede e parte de Municípios limítrofes, esta questão é «extremamente preocupante e trava todo este processo que coloca em causa a sustentabilidade ambiental».

«Consideramos que a possibilidade de licenciamento de uma exploração de caulino para a área em causa acarretará consequências negativas devastadoras, do ponto de vista ambiental, social e cultural, hidrológicas, de segurança, económicas (turísticas) irreversíveis, desvirtuando por completo os desígnios de desenvolvimento sustentável preconizados para o concelho de Cantanhede», afirmou Helena Teodósio.

Neste sentido, os autarcas da CIM Região de Coimbra pronunciam-se contra este processo que afetará a região no seu todo e irão solicitar uma audiência ao Ministro do Ambiente e da Transição Energética para apresentar esta posição.

 

 

Fonte: Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra

Imagem de Arquivo