A Mealhada é o município, da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, com maior incidência cumulativa de casos de infeção pelo novo coronavírus em 14 dias (dados da DGS de 28 de outubro a 10 de novembro) e os efeitos na comunidade começam a fazer-se sentir. Depois do encerramento da Casa da Criança da Misericórdia da Mealhada durante 15 dias, e que reabrirá na próxima semana, o mesmo procedimento foi efetuado, pela Direção Geral da Saúde, para o Centro Escolar da Mealhada, após o teste positivo em seis alunos e seis professores. Apesar disso, desde o início da pandemia e até ao momento, o município não regista surtos em valências da Terceira Idade.

O Centro Escolar da Mealhada, que agrega as valências de Escola Básica N.º 1 e Jardim de Infância, estará encerrado até ao próximo dia 27 de Novembro, estando prevista a sua reabertura na segunda-feira seguinte, dia 30. O aparecimento de casos de infeção por covid-19 em alguns docentes e alunos, na semana passada, levou a que a Autoridade de Saúde Local tivesse proposto à Direção Geral de Saúde o encerramento preventivo da referida instituição de ensino, com início desde o dia de ontem. Numa circular remetida aos encarregados de educação, Fernando Trindade, diretor do Agrupamento de Escolas, alerta: «Importa que a prevenção aconteça agora também em casa, evitando-se, nomeadamente, as saídas e a partilha de habitação entre amigos ou outro tipo de convivência».

A pandemia no território mealhadense foi também, na manhã da passada segunda-feira, um dos assuntos focados pelo executivo camarário, tendo Rui Marqueiro, presidente da Autarquia, informado que já houve quatro voltas de testagem, com milhares de testes serológicos realizados, nas Instituições Particulares de Solidariedade Social do concelho. «Até hoje não tivemos nenhum surto em lares», referiu o autarca, garantindo que «os apoios às IPSS foram também de recursos financeiros e, ao nível de material, já não tem conta…».

Mas o grande problema, e segundo Nuno Canilho, vereador na Autarquia responsável pelo pelouro da Ação Social, está na contratação de pessoal. «As IPSS estão a beneficiar de um conjunto de apoios à contratação, através de um programa financiado pelo Estado, mas estão a ter grandes dificuldades em encontrar pessoas para esse fim», lamentou.

Rui Marqueiro, informou ainda o executivo, de que todos os meses os serviços da Autarquia remetem para a Direcção-Geral das Autarquias Locais os gastos que têm com a pandemia, relatórios que os vereadores da oposição querem também ter acesso.

A Mealhada, a par dos restantes concelhos da região da Bairrada, está na lista dos 191 concelhos, espalhados por todo o país, com risco elevado de contágio, estando, desde a meia noite da passada segunda-feira, a cumprir as medidas restritivas impostas pelo Governo.

No concelho da Mealhada, os dados referentes ao dia 13 de novembro de 2020, disponibilizados pelo Agrupamento de Centros de Saúde do Baixo Mondego, davam conta de 118 casos ativos de infeção por covid-19.

 

 

Mónica Sofia Lopes