A entidade concessionária do Palace Hotel do Bussaco, alegadamente, viu-se obrigada a corrigir um conjunto de irregularidades, nomeadamente na central de incêndios que não estava a funcionar, bem como os extintores fora do prazo, após uma visita da Autoridade Nacional da Proteção Civil há cerca de dois meses. O assunto foi levantado por Hugo Silva, da coligação “Juntos pelo Concelho da Mealhada”, que declarou, numa sessão de transportes intermunicipais, que Rui Marqueiro, presidente da autarquia mealhadense, apresentou queixa da unidade hoteleira em diversas instâncias.

O mote da sessão pública que decorreu na Mealhada, na passada sexta-feira, era o de apresentação do plano de mobilidade e de transportes da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, mas Hugo Silva, da coligação “Juntos pelo Concelho da Mealhada”, aproveitando uma comparação, trouxe à tona “o facto de Rui Marqueiro ter feito queixas sobre o concessionário do Palace do Bussaco”.

Em resposta, o presidente da Câmara da Mealhada garantiu “não ter feito nenhuma queixa contra o Hotel”, mas que “o Município recebeu denúncias gravíssimas sobre a falta de cuidado e manutenção do edifício” e que isso o levou a pedir uma visita operacional à Autoridade Nacional da Proteção Civil.

Segundo o nosso jornal conseguiu apurar, a visita aconteceu no final do passado mês de julho, nomeadamente, com a presença do 1.º Comandante Operacional de Aveiro e de alguns elementos da autarquia. “A central de incêndios não estava a funcionar e os extintores estavam fora do prazo”, referiu o autarca, declarando que “o relatório da ANPC determinou o encerramento do Hotel”, mas que “a entidade concessionária corrigiu o que havia para corrigir”.

Rui Marqueiro acrescentou ainda “que a situação do Palace é má, nomeadamente, com a falta de cuidado e de manutenção” e que “perante as denúncias que recebeu, as remeteu para as entidades competentes”. “Estas saberão se devem, ou não, ir para o Ministério Público”, acrescentou.

O «Bairrada Informação» tentou obter uma declaração sobre o assunto com o Grupo responsável pelo Palace do Bussaco, mas foi-nos dito, ao telefone, “que a administração só estaria disponível em horário de expediente de segunda a sexta-feira”. Já da parte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Aveiro também não conseguimos chegar à fala com o comandante António Ribeiro, durante a manhã de ontem, sábado, dia 22 de setembro.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografia de José Moura