Atualização da data a 24 de abril de 2021.

O documentário «A Primeira Linha de Wellington», realizado e produzido por Paulo Fajardo, repórter de imagem, de 40 anos, natural da Figueira da Foz, mas residente na Mealhada, tem a sua estreia agendada para o próximo dia 22 de maio, em simultâneo nos Municípios de Penacova, Mealhada e Mortágua.

«A 27 de Setembro de 1810 trava-se a Batalha do Bussaco na região centro de Portugal. Em confronto, mais de 60 mil soldados franceses, sob o comando de um dos mais respeitados marechais da França Imperial de Napoleão Bonaparte, André Masséna, contra os cerca de 50 mil homens do exército composto por forças britânicas e portuguesas, liderados pelo Duque de Wellington, Arthur Wellesley, o comandante que viria a derrotar, de uma vez por todas, Napoleão em Waterloo», lê-se na sinopse do documentário, que enfatiza que «este primeiro confronto de larga escala, na última das três invasões perpetradas pelos gauleses em terras lusitanas, embora não decisiva no imediato, deixou marcas indeléveis na memória coletiva do país. Por um lado, reforçava a confiança na capacidade bélica das tropas inglesas e portuguesas que acabaram não só por libertar Portugal, mas também toda a península do jugo francês; por outro o impacto brutal da invasão nas populações, que feriram o país de tal forma que as ondas de choque acabaram por se repercutir por todo o século XIX».

Ao «Bairrada Informação», o realizador da obra explica que a narrativa do documentário são «os dois estrategas em confronto – de um lado Wellington, do outro Masséna –, toda leitura que fizeram um do outro, do terreno, assim como das condicionantes do país». «Foram recriadas várias fases do conflito, sendo que, no nosso entender, a Batalha do Bussaco foi fundamental para que as tropas francesas já chegassem desmoralizadas às Linhas de Torres», explica Paulo Fajardo, sobre o documentário que tem início às portas de Almeida, junto à fronteira.

A rodagem no terreno começou a 15 de agosto de 2020, e as filmagens passaram por diversos concelhos, nomeadamente, Almeida, Mortágua, Penacova, Mealhada, Anadia e Lourinhã. Os meses que antecederam foram de preparação do guião. «Gravar em cenário de pandemia não foi fácil. Houve várias condicionantes óbvias e a reformulação de diversas cenas para que fossem respeitadas todas as normas sanitárias», explica o produtor.

«A Primeira Linha de Wellington» é um projeto apoiado pelo Centro 2020 | Portugal 2020 | Centro Europeu de Desenvolvimento Regional, em parceria com os Municípios da Mealhada, Mortágua e Penacova, e coproduzido com o CineClub Bairrada. A sua realização contou com a participação de grupos de recriação histórica: GRHMA – Grupo de Reconstituição Histórica do Município de Almeida; Associação para a Memória da Batalha do Vimeiro; Grupo de Recriação Histórica de Condeixa; e Associação Napoleónica Portuguesa.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Imagens com Direitos Reservados