Os candidatos da CDU à Câmara e Assembleia Municipal de Anadia, respetivamente, Marco Alves e Rui Bastos, querem um «instituto de investigação de vinhos» (WRI-ANA: «Wine Research Institute of Anadia») no município, «de dimensão nacional e internacional, que colmatará uma lacuna profunda do não aproveitamento das valências mais importantes do concelho». O plano de ação do partido, para 2022-2030, em Anadia, estará em discussão pública de 1 a 31 de maio, através de um website, apresentado no primeiro dia do próximo mês, sendo que o documento final terá apresentação agendada para o dia 16 de junho.

O grande projeto estrutural proposto pela CDU, e que foi apresentado em sessão online, na passada sexta-feira, pretende agregar, segundo os candidatos, várias entidades, como é exemplo «a Escola Profissional de Anadia/Estação Vitivinícola da Bairrada; o Agrupamento de Escolas; Universidade Sénior; Museu do Vinho e da Vinha; as Estâncias Termais e a Incubadora de Empresas». «É proposto à população um investimento em investigação e desenvolvimento num Instituto de Vinhos, de dimensão (inter)nacional, que colmatará uma lacuna profunda no não aproveitamento das valências mais importantes do concelho», lê-se numa nota de imprensa, que acrescenta que será «um investimento com enorme retorno a médio-longo prazo, tratando não só da certificação geográfica e química das castas regionais como ainda potenciando investigação de ponta nos subprodutos da produção de vinhos e nas águas termais».

«A certificação e o desenvolvimento de novos produtos garantem a possibilidade de gerar mais-valias e valor acrescentado; dinamizando ainda empreendedorismo nas áreas da Enologia e Viticultura, Termalismo-SPA e turismo», referiu Marco Alves, aquando da apresentação, que foi moderada pelo ex-eurodeputado Miguel Viegas.

Acerca do plano de ação 2022-2030, que extrapola o período quatro anos autárquicos, Marco Alves justificou «a necessidade de um plano que englobe mais de um mandato de modo a assegurar a mudança tão necessária para renovar o Município».