A depressão ainda é encarada pela sociedade como algo “fácil” de superar… uma doença que só se tem porque se quer ter… como se se tratasse de uma opção.

Não é! Ninguém escolhe e ninguém quer ter depressão! Ninguém se quer sentir triste, infeliz e desesperado diariamente. Duvido que alguém escolha chorar sem motivo e não encontrar razão para sorrir (por muito que tenha consciência de que essas razões até existem).

A depressão é uma doença como tantas outras, e requer tratamento efectivo.

Na medicina chinesa, a depressão, tal como todas as doenças, é vista como uma alteração energética. Nestes casos o órgão mais afectado, e que por isso demonstra maior fragilidade, é o coração. É ele que abriga aquilo a que chamamos o Shen (o “mental”) onde incluímos as nossas emoções e as equilibramos. É no Shen que vamos actuar, e por isso vamos tratar o coração tendo em conta os outros órgãos que o afectam e que com certeza estão envolvidos, sabendo que cada um deles se refere a uma emoção específica:

 

Baço – preocupação

Pulmão – tristeza

Rim – medo

Fígado – irritabilidade

Coração – euforia

 

É com base nesta lógica que a Medicina Tradicional Chinesa, por meio das várias técnicas que engloba (acupunctura, fitoterapia, moxabustão, etc) trata a depressão.

Procure ajuda sempre que sentir que as suas emoções estão a condicioná-lo. Não espere que passe… toda doença precisa de tratamento, a depressão não é excepção!

 

Paula Gradim

Especialista de Medicina Chinesa

CP: C-006403

 

 

Imagem de capa: StockSnap (https://pixabay.com/pt)