O executivo municipal da Mealhada aprovou, na manhã de ontem, 28 de outubro, atribuir um subsídio de 24 mil euros, à Associação de Carnaval da Bairrada (ACB), para realização do Carnaval Luso Brasileiro da Bairrada em 2020, valor que abrangerá a organização do Festival de Samba do mesmo ano; e ainda, tal como no ano passado, a atribuição de subsídios diretos às quatro escolas de samba, num valor de 72,50 euros por cada figurante, até um limite de 120, e de 20 euros dos 121 aos 200 elementos. Na mesma sessão foi ainda atribuído uma verba de cinco mil euros à ACB pelo «prejuízo» do cancelamento de um dos desfiles diurnos no evento de 2019, «colmatado», contudo, por um corso noturno, cuja bilheteira ascendeu a 19 mil euros.

A ACB contará com um subsídio de 24 mil euros, por parte da Câmara da Mealhada, para a realização dos desfiles do Carnaval Luso Brasileiro da Bairrada, disponibilizando ainda «apoio logístico e cedência de instalações (para confeção dos carros alegóricos)», sendo que 4.500 euros serão disponibilizados até uma semana após a assinatura do protocolo, num «adiantamento» que servirá para o início dos preparativos carnavalescos.

O protocolo entre a Associação de Carnaval e a Autarquia da Mealhada prevê ainda um subsídio extraordinário, no caso de «as condições climatéricas adversas não permitirem a realização de um ou dos dois desfiles, até um limite máximo de 24.000 euros». «O cancelamento do desfile por condições climatéricas adversas é da responsabilidade da ACB, consultada a Câmara Municipal», lê-se ainda no documento.

O protocolo enfatiza que a ACB tem a responsabilidade de «toda a organização do Carnaval Luso-Brasileiro da Bairrada 2020, incluindo a segurança de pessoas e bens e de instalações diversas e móveis» e do «fornecimento à edilidade de cópia de todos os documentos finais de prestações de contas».

Já no protocolo entre a Câmara, a ACB e cada uma das quatro escolas de samba, está previsto um valor global de 36 mil euros. Assim, «por cada figurante devidamente caracterizado de acordo com o tema ou enredo integrante dos desfiles será atribuído um valor de 72,50 euros até 120 elementos» e «um valor de 20 euros por cada figurante, entre os 121 e 200 elementos».

No caso de os valores atribuídos às escolas de samba não perfazerem um total previsto de 36 mil euros, a Câmara da Mealhada compromete-se a distribuir pelas mesmas, «de modo proporcional, a eventual diferença».

Em contrapartida, as escolas de samba terão obrigações perante o Município da Mealhada, nomeadamente, contribuir para «a promoção turística do concelho» sempre que solicitadas durante o ano de 2020; colaborar em programas culturais desenvolvidos pela autarquia; participar, com elementos da Bateria, no Carnaval de Palmo e Meio que se realiza a 16 de Fevereiro de 2020, a partir das 15h00; apresentar documentos das suas atividades anuais; e desfilar com um mínimo de 80 elementos nos corsos do Carnaval.

Na mesma sessão, foi ainda aprovado um valor de cinco mil euros a ser entregue à Associação de Carnaval da Bairrada, após pedido de verba por parte desta entidade, pelo «prejuízo» da não realização do desfile de terça-feira em 2019. «Efetivamente não se realizou o desfile de terça, mas houve um noturno na segunda, que atingiu 19.115 euros de receita», referiu Rui Marqueiro, presidente da Câmara da Mealhada, explicando que os cinco mil euros são a subtracção dessa receita com os 24 mil euros, valor máximo previsto em protocolo extraordinário.

 

Mónica Sofia Lopes