A Junta de Freguesia do Luso está a levar a cabo uma obra no edifício do Turismo para inaugurar o Museu Melo Pimenta. O investimento de cerca de vinte mil euros pretende assim dar condições a um espólio que a autarquia lusense detém. A inauguração está prevista acontecer no próximo dia 1 de junho e, ao que tudo indica, estará presente um neto do comendador.

Manuel de Melo Pimenta nasceu no Luso a 3 de fevereiro de 1893, mas partiu para o Brasil com catorze anos, onde foi acolhido pelos tios, com filhos também nascidos no Luso, mas desde “tenra idade” a viverem no Bairro do Brás, em São Paulo. Com um imenso gosto pela leitura, Melo Pimenta ajudava o tio na carpintaria e estudava à noite, tendo concluído o curso comercial no Liceu de Artes e Ofícios. De regresso ao Luso casou com a sua prima Marinha, com quem teve um filho, o Dimas. Em idas e voltas entre Portugal e o Brasil, numa delas aflige-se com a pobreza que vê no Luso e “oferece às famílias carenciadas um Bairro Social com trinta casas”, o até hoje designado de Bairro Melo Pimenta. Patrocina ainda a construção de um edifício onde instala a sopa dos pobres, que “alimentava em média trinta a quarenta pessoas por dia”.

“Em agradecimento e reconhecimento deste alto gesto humanitário, o seu nome e de sua mulher fazem parte da toponímia de Luso, no Largo Comendador Melo Pimenta e Rua Marinha Moura Pimenta (rua onde nasceram Manuel e Marinha)”, lê-se num dos apontamentos históricos que fará parte do Museu, que acrescenta que Melo Pimenta foi agraciado pelo Estado Português com a Comenda da Ordem da Benemerência, em 1958.

“É um nome muito relevante para a freguesia do Luso e achamos que o público e a população lusense e do concelho merecem ter este espólio disponível”, afirma Claudemiro Semedo, presidente da Junta, que está a contar com a presença de Emanuel Dimas de Melo Pimenta, neto do benemérito, um dos responsáveis pela Bienal Internacional de Arquitetura em São Paulo, no Brasil.

A obra – dezoito mil euros para a exposição e cerca de dois mil para obras no edifício – será totalmente custeada pela Junta de Freguesia do Luso.

 

Mónica Sofia Lopes