Chef’s (de renome nacional), produtores e empresários vão “reunir” produtos gastronómicos e vitivinícolas em mais um jantar “À Nossa Mesa”, num projeto que parte da Escola Profissional da Mealhada e junta todos os intervenientes e alunos dos cursos de Cozinha e Restaurante / Bar. O jantar, que se realiza a 23 de março no Restaurante Pedagógico da EPVL “A Prova dos Novos”, na Pampilhosa, promete pratos “reinventados” e as inscrições já estão abertas, mas são limitadas a cinquenta pessoas.

O projeto iniciou-se em 2017, na Figueira da Foz, mas só em 2018, no Restaurante Pedagógico da Escola Profissional Vasconcellos Lebre, se consolidou, ficando a promessa de que novo encontro ia acontecer. “O evento surge como forma de promover os produtos, a gastronomia, os vinhos e os chef’s da região Centro”, explicou o Chef Tony Salgado, do Pestana Palácio do Freixo, garantindo que o evento “é muito mais do que um jantar. É uma experiência gastronómica!”. “No ano passado tivemos leitão de uma forma diferente, este ano já sabemos que teremos chanfana de forma diferente daquela que estamos habituados”, acrescentou.

O evento começa com um “Welcome Drink”, seguindo-se uma Entrada, Prato de Peixe, Prato de Carne e Sobremesa. Os pratos serão confecionados pelos chef’s Susana Oliveira, Valdemar Onofre, Manuel Alexandre, Carlos Gonçalves e Tiago Bonito. Orlando Esteves será o orador para explicação e memória de cada prato. A ajudar na cozinha,  a servir à mesa e a organizar toda a logística estarão os alunos dos cursos de Cozinha e Restaurante / Bar. O valor por pessoa é de quarenta euros e as inscrições podem ser feitas através da página no Facebook “À Nossa Mesa”.

“É uma oportunidade única de um aluno poder, por exemplo, descascar batatas com um chef que tem uma estrela Michelin”, refuta Nuno Canilho, representante da Câmara da Mealhada na EPVL, relembrando que, durante todo o ano, a escola realiza mensalmente almoços temáticos, onde “os alunos têm um dia de trabalho com os melhores chefes nacionais”. “Tudo acontece em contexto real, numa cozinha com muita gente e onde tudo funciona sobre pressão”, acrescenta.

“Estamos a falar de um experiência fora de série, única e diferente, onde os pratos são reinventados, mantendo-se a tradição, a qualidade e a identidade do produto”, enfatiza ainda Nuno Canilho.

Os apoios ao evento são muitos, nomeadamente, Vista Alegre, azeite Dentinho, Adega Rama, Caves Messias, vinhos São Domingos, restaurante Pedro dos Leitões e fardas Catarina Pires. “As marcas que nos apoiaram no ano passado também querem fazê-lo em 2019 e isso é muito importante para nós”, referiu Diana Jorge, Chefe de Sala no evento e formadora na EPVL.

Para Manuela Alves, diretora pedagógica da escola, estas iniciativas “são sempre uma mais valia para os alunos até porque um trabalho a este nível gera outra dinâmica”. “Os nossos alunos têm dado provas de serem excelentes profissionais e, por isso, a escola é muito solicitada para diversos serviços. Os alunos são o espelho dos formadores. Se o formador não for bom, faltam as ferramentas e aqui isso não acontece”, elogia.

Uma qualidade que espelha os oitenta por cento de taxa de empregabilidade dos cursos na área de Restauração, nos últimos dois anos. “Os restantes vão para a universidade”, conclui Diana Jorge.

 

Jornadas na EPVL a 22 de março

No dia anterior ao do evento, na sexta-feira, 22 de março, a EPVL promove umas jornadas, onde estarão representantes de várias entidades ligadas à hotelaria.

A temática do recrutamento e exigência estará a cargo do Grupo Pestana; a importância das “raízes” na voz de Olga Cavaleiro, presidente das Confrarias Gastronómicas; e  Paulo Pereira, que participou no “Shark Tank” com o gin Amicis, feito na zona Centro e desdobrado com água do Luso, já confirmou também a sua presença. As jornadas contarão com ex-alunos da escola que falarão sobre o percurso na EPVL e no mercado de trabalho.

“Queremos provar ao máximo que ninguém vem para a hotelaria se não gostar”, afirmou Diana Jorge, formadora na EPVL.

 

Mónica Sofia Lopes