Quando há duas décadas os corsos do Carnaval Luso Brasileiro da Bairrada passaram para o “Sambódromo Luís Marques”, na zona desportiva da Mealhada, cerca de uma dezena de foliões, numa tentativa de não deixar de esquecer a sua origem, e depois de uma noite longa de Carnaval, desfilaram, na terça-feira de manhã, pelas ruas da cidade. A designação dada ao feito – “o desfile dos Renegados” – perdura até aos dias de hoje, mesmo depois do corso já ter regressado à sua origem, há três anos.

Desde sempre que o Carnaval da Mealhada é conhecido, não só pelos seus corsos em formato mais pequeno, mas muito similar ao que se faz pelo Rio de Janeiro, mas também pelas suas cinco longas noites de animação.

Ha 20 anos, depois de uma enorme noite de segunda-feira de Carnaval, alguns foliões – onde se incluem Rogério Andrade, Luís e João Capela, Carlos Vaz, João Pedro Pestana, Ricardo Ferreira, Ricardo Vale, Ângelo Silva, Rodrigo Peres e Mariana Cidade Ferreira – juntaram-se e com instrumentos, emprestados pela escola de samba Batuque (na altura, com sede junto à Câmara), cerca das 9 horas da manhã, fizeram o mesmo trajeto do corso do Carnaval da Mealhada, no centro da cidade.

“Quem não tinha instrumento tocava com o que tinha mão: caixotes do lixo, garrafas, aquecedores,…”, disse-nos um dos elementos do primeiro desfile.

Não havia quem não achasse graça à tradição e houve até um ano “em que nos cruzamos com as majoretes (também elas tradição do Carnaval) que pararam de tocar para nos ouvir a nós”.

A paragem obrigatória era nos cafés e, uns anos mais tardes, também em casa de uma foliã, que servia uma refeição aos “Renegados”, a quem, dentro de escassas horas, deixaria de ser “renegado” para participar no desfile “a valer” para milhares de pessoas.

Por brincadeira, e depois de uma noite sempre bem “aquecida”, a realidade é que a tradição se manteve e, este ano, “encheram” uma bancada instalada na área do desfile, podendo agora dizer-se, e uma vez que o corso de terça-feira à tarde foi cancelado devido à chuva, que coube aos “Renegados do Samba” dar, em 2019, o último show na avenida do Carnaval da Mealhada…

 

Mónica Sofia Lopes