A Câmara da Mealhada e o autor Nuno Alegre apresentam o livro “Na mira do Bussaco”, editado pelo Município da Mealhada, a ter lugar no Cineteatro Messias, pelas 15 horas de sábado, dia 29 de maio 2021.

“Este livro é o resultado de 15 anos de investigação. ‘Na Mira do Bussaco’ é uma viagem à toponímia e história do território, que vai da Bairrada até à Gândara e à Ria de Aveiro, enquadrada entre a foz do Mondego, os meandros do Vouga e a bacia do Cértima”, lê-se numa nota da Biblioteca da Mealhada, que acrescenta que “o livro, editado pelo Município da Mealhada, parte do objetivo original de ajudar a acabar com as dúvidas sobre a forma correta de grafar o nome da Serra do Bussaco, que domina o território do concelho da Mealhada, mas cedo se tornou claro para o autor que os resultados iriam ultrapassar o objetivo inicial”. “Apenas decifrar a grafia correta seria uma enorme perda de tempo e de recursos e não faria sentido enquanto objetivo isolado”, justifica o autor da publicação.

Combatendo o vício da latinização, questionando dogmas e assaltando zonas de conforto, para Nuno Alegre, este “é um livro que se pretende de livre pensamento, mas balizado dentro do rigor que nos é permitido pelo atual estado da arte”.

A lógica comportamental, os lapsos do conhecimento histórico dominante, a cartografia, a náutica, a geometria e a matemática assumem papel de relevo enquanto instrumentos determinantes das conclusões deste livro.

 

Sobre o autor:

Nuno Manuel Gouveia Alegre nasceu à beira do Tejo, em Lisboa (antiga freguesia de S. Cristóvão e S. Lourenço, atual Santa Maria Maior) a 20 de agosto de 1972. Membro da terceira geração de uma família de hoteleiros da vila de Luso, que se iniciaram nesta atividade económica em 1931, resolveu abraçar e continuar a tradição familiar a partir de 2004. A par da direção e gestão hoteleira, presta serviços de consultoria nas áreas de otimização e marketing hoteleiro, “revenue management” e distribuição on-line, e dedica-se igualmente ao estudo de outros temas que possam ser diferenciadores das ofertas e potenciadores dos resultados, como é o caso do património edificado e da história local.