Nos últimos dias, foram detetados no Município de Cantanhede 25 casos de infeção por Covid-19, situação que atira “o concelho para um rácio de 72 infetados por 100 mil habitantes, quando há pouco mais de uma semana não havia nenhum caso ativo”. “Agora a situação começa a ser deveras preocupante”, diz a presidente da Câmara Municipal perante os últimos dados que lhe chegaram, alertando para “a necessidade de as pessoas cumprirem rigorosamente as normas sanitárias recomendadas pelas autoridades de saúde”.

Segundo a autarca, “o que por estes dias se está a passar em Cantanhede mostra bem que não pode haver facilitismos, mesmo sabendo que o processo de vacinação no concelho está a avançar muito rapidamente. Tal como os especialistas têm dito e insistido, a toma da vacina não isenta as pessoas do dever de usarem máscara e cumprirem as outras regras instituídas para o combate à pandemia, uma vez que, como infelizmente se tem visto, estão a ressurgir alguns focos infeciosos no país”, sublinha. Helena Teodósio adianta que, “se o que se passou nos últimos dias no concelho de Cantanhede se acentuar, vamos acabar por ter de voltar a confinar, e isso é tudo o que não queremos, até porque a situação já esteve totalmente controlado não há muito tempo”. Por isso, insiste, “tudo depende dos comportamentos individuais e coletivos, da capacidade de resistir à tentação de cair em situações que potenciam o contágio, especialmente os ajuntamentos em eventos sociais ou outros”.

A líder do executivo camarário cantanhedense considera que, “depois de as coisas terem corrido tão bem com uma evolução da crise sanitária extremamente favorável, temos todos de arrepiar caminho e voltarmos aos padrões de comportamento que fizeram com que o concelho não tivesse registado nenhum caso por um longo período, tanto mais que, com o ritmo a que está a decorrer o processo de vacinação, não faltará muito tempo para que a proteção coletiva seja substancialmente melhorada”.

No Município de Cantanhede foram já administradas 18.500 doses de vacina no centro de vacinação criado no Pavilhão Marialvas e, entretanto, a presidente da Câmara garante que “a autarquia se mantém muito atenta à evolução da situação epidemiológica, prosseguindo com ações para prevenir e combater a propagação do vírus, ao mesmo tempo que continua no terreno com as iniciativas desencadeadas para mitigar o impacto económico e social da pandemia”.

 

 

Fonte: Município de Cantanhede