30 Minutos de Música está de volta este fim de semana com transmissão em live streaming através de página do facebook da Câmara Municipal de Cantanhede, a partir do salão nobre dos Paços do Concelho. Esta que será a quarta jornada do certame cultural que a autarquia cantanhedense promove semanalmente apresenta em palco os “Gaiteiros Rainha Santa” e a Orquestra OPUS 21 da Associação António Fragoso, dois registos musicais distintos e também diferentes relativamente às edições anteriores.

Já na sexta-feira, 19 de março, às 21h30, atuam os “Gaiteiros Rainha Santa”, grupo constituído por jovens alunos de gaita-de-fole na Academia de Música de Ançã e Ceira para assegurar a salvaguarda e a divulgação da música de raiz popular, nomeadamente a associada aos gaiteiros tradicionais do perímetro em torno de Coimbra que abrange aldeias de vários concelhos do distrito, entre os quais Cantanhede.

Estes instrumentistas de gaitas-de-fole coimbrãs e galegas são acompanhados por caixas de rufo e bombos típicos dos gaiteiros habitualmente presentes nas festas patronais, interpretando um repertório diversificado em que pontificam alguns temas conhecidos, como Alvorada de Palmazes, Vira Póvoa da Lomba, Passo Dobrado da Quinta do Valongo, Marcha dos Gaiteiros do Senhor da Serra, Valsa Antiga ou Fitas de Antonio

Os “Gaiteiros Rainha Santa” dão sequência ao trabalho dos extintos Roncos & Curiscos, através da recolha de depoimentos e temas próprios de gaita-de-fole junto de antigos gaiteiros e dos seus descendentes, assinalando e registando instrumentos históricos de feitura local, com características morfológicas e tímbricas típicas da região, conforme assinalaram nos anos 1960 Ernesto Veiga de Oliveira e Michel Giacometti. Procedem ainda a estudos documentais sobre fotos, registos paroquiais, jornais e revistas já extintos, além de que recuperam e divulgam temas há muito desaparecidos das arruadas e que muitos dos novos gaiteiros tradicionais acabam por adotar.

No sábado, 17 de março, 30 Minutos de Música prossegue, também com início às 21h30, com o concerto da Orquestra Opus 21, Orquestra Ligeira da Associação António Fragoso, parte integrante do Departamento de Música da Associação. Constituída por um leque variável de até 20 músicos, em função das características dos espetáculos, esta formação musical foi criada para homenagear António Fragoso, por muitos considerado o maior compositor português de todos os tempos, cujo percurso musical foi inesperadamente interrompido a 13 de outubro de 1918, quando faleceu na Pocariça vitimado pela gripe pneumónica que nessa época se fez sentir em toda a Europa.

Sob a direção artística do maestro Evaristo Neto, a Orquestra OPUS 21 sobe ao palco com 11 músicos, que apresentarão a versão instrumental de famosas obras de Gershwin, Astor Piazzolla e António Carlos Jobim. Será uma noite de tango, bossa nova e muito jazz, num programa por si designado de Américas: Grandes Músicos, Grandes Músicas.

Fundada em janeiro de 2009, por um conjunto de familiares do compositor António de Lima Fragoso, a Associação António Fragoso é uma instituição cultural sem fins lucrativos, que tem como principais metas o estudo, revisão, edição e a ampla difusão das obras musicais e literárias deixadas por este compositor. Assumindo-se como um dos polos de cultura do concelho de Cantanhede, nos seus últimos 12 anos de vida a Associação promoveu e realizou mais de 400 concertos com base sobretudo na obra de Fragoso. Realizou também uma série de conferências e colóquios e tem tido uma importante atividade editorial, que envolve a edição de livros, partituras, DVD e discos com base na obra e vida de António Fragoso.

 

 

Fonte: Município de Cantanhede