Faleceu este sábado, 16 de janeiro, aos 87 anos, o «comandante Felgueiras», antigo presidente da Junta de Freguesia da Mealhada, À data, José Barroso da Cunha Felgueiras estava institucionalizado no Centro Social e Cultural N.ª Sr.ª do Ó de Aguim, no concelho de Anadia.

José Felgueiras foi comandante dos Bombeiros Voluntários da Mealhada durante vinte anos, de 1981 a 2001, e doze presidente da Junta de Freguesia da Mealhada, eleito pelas listas do Partido Social Democrata, de 2002 a 2013. Foi ainda presidente do Grupo Desportivo da Mealhada, fez parte dos órgãos sociais da Associação de Carnaval da Bairrada e integrou muitas outras associações da sua «Mealhada Linda».

A última cerimónia pública em que o «senhor Felgueiras» participou aconteceu em maio de 2018 quando a Junta da União de Freguesias da Mealhada, Ventosa do Bairro e Antes atribuiu o seu nome a uma travessa – «Travessa Comandante José Felgueiras» – na cidade da Mealhada, local onde José Felgueiras «viveu uma parte significativa da sua vida».

«O nosso querido Comandante José Felgueiras faleceu nas últimas horas», lê-se na página do Facebook dos Bombeiros da Mealhada, que acrescenta que «o Comandante do Quadro de Honra era filho do primeiro comandante dos Bombeiros da Mealhada», tendo-lhe sido atribuído «o Crachá de Ouro – a mais alta condecoração dada aos Bombeiros de Portugal – pela Liga dos Bombeiros Portugueses». «O Comandante Felgueiras é e continuará a ser uma referência para muitas gerações de bombeiros da nossa corporação e para muitos cidadãos mealhadenses. A sua dedicação, o seu empenho e a sua devoção à nossa associação – no apoio a todos os bombeiros – ficarão para sempre na história da nossa instituição», acrescentam ainda os Bombeiros da Mealhada.

O funeral do «Comandante Felgueiras» realiza-se hoje, domingo, dia 17 de janeiro. «O corpo estará no quartel dos Bombeiros da Mealhada, no Salão Nobre, às 14h 30m. Seguirá, depois, em cortejo automóvel, transportado no Chevrolet da corporação, para o Cemitério da Mealhada. No momento do sepultamento, a sirene da corporação chorará em sua homenagem», lê-se na página do Facebook dos Bombeiros da Mealhada, que acrescenta ainda que «devido às restrições do confinamento geral decorrentes do Estado de Emergência, as cerimónias serão restritas. Apelando-se aos amigos do Comandante que lhe prestem homenagem, na hora da partida, por outros meios que não a presença nas exéquias».

 

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografia com Direitos Reservados