Na Assembleia Municipal da Mealhada, que se realizou na noite de segunda-feira, 29 de junho, Rui Marqueiro informou que o atual presidente da Fundação Mata do Bussaco, António Gravato, terminará o seu mandato na presidência da referida entidade, no próximo mês de agosto. Contactado pelo nosso jornal, o dirigente fala em seis anos «aliciantes», mas com muitos transtornos burocráticos.

«Vamos, neste momento, levar a cabo trabalhos de infraestruturação e embelezamento na Mata, procedimentos que levam muito tempo a ter início. Fazer candidaturas, projetos e arranjar financiamento é algo que não é feito com a celeridade que gostaríamos. O que fazemos hoje só será visível no futuro», explicou António Gravato, garantindo que «estão em curso três projetos pós-tempestades, que tiveram que sofrer reprogramação e voltar a aprovação em Lisboa, devido à pandemia. «A burocracia no terreno é muito difícil», remata.

 

 

Imagem com Direitos Reservados