Filipa Mendes, residente em Sangalhos (concelho de Anadia), que pediu ajuda nas redes sociais para conseguir sair da ilha de Santa Cruz, nas Galápagos, onde estava, há dois meses, a fazer voluntariado numa Fundação, já está a caminho de Portugal. Ontem, em conversa com o «Bairrada informação», a jovem encontrava-se em Quito, de onde ia partir ao final do dia para apanhar um voo com destino a França., estando, neste momento, a caminho de Lisboa.

Filipa Mendes estará, neste momento, 17h 48m de 23 de março a sair de França a caminho do seu país origem – Portugal – e à sua cidade natal – Anadia. A jovem esteve «retida» nas ilhas Galápagos, cerca de duas semanas, depois da instituição onde fazia voluntariado, desde janeiro passado, ter decretado algumas medidas de prevenção, fruto do surto epidemiológico Covid-19, que atingiu o mundo inteiro.

Na passada sexta-feira foram vários os órgãos de comunicação social a partilhar o vídeo de Filipa Mendes e foram vários os internautas da região da Bairrada que se mostraram sensíveis com a situação.

«Quero agradecer todas as partilhas e dizer-vos que estou muito mais descansada», começa por explicar, num vídeo enviado ao nosso jornal, Filipa Mendes, garantindo que o dia de sábado «foi complicado para sair da ilha». «Foram seis horas de stress. Pensávamos que a polícia não nos ia deixar passar nas fronteiras porque não tínhamos bilhetes para os aviões, mesmo nós sabendo que os aviões não iam completamente cheios», contou-nos a jovem.

Na tarde de ontem, Filipa Mendes encontrava-se em Quito, na capital do Equador, «em casa de um amigo da Fundação», entidade que ajudou Filipa e outros voluntários a saírem da ilha. «Mais logo vamos para o aeroporto apanhar o avião para França e outros dois amigos para Amesterdão», disse ainda, a jovem que está a poucas horas de aterrar em solo português.

Mestre em Ecologia pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, Filipa Mendes procurou, há dois meses, um futuro melhor numa Fundação situada no Oceano Pacífico, mais concretamente nas Ilhas Galápagos, no território do Equador.

 

Mónica Sofia Lopes