“Anita ao Ritmo do Coração” é um projeto musical infantil que com o tema “Os Animais São Bestiais!” pretende contar “a história de três amigos especiais, divertidos e felizes, sempre muito unidos e que têm uma grande paixão em comum: a música”. Uma “peça” que alia a deficiência e a surdez à infância e psicologia, através de um espírito inovador inclusivo, que pretende chegar a todas as crianças, independentemente das suas condições. Ana Teresa Almeida, uma bairradina natural de São Lourenço do Bairro, no concelho de Anadia, é a mentora de todo o projeto.

Bia, Alfredo e Anita. Bia representa a “alegria”, uma professora de língua gestual, que “como não consegue ouvir (…), as suas mãos são mágicas e ‘dizem’ tudo aquilo que pensa e sente…”. Alfredo representa o “medo”, mas o seu nome real é Rui, um jovem utente do Centro Santo Amaro, em Casal Comba, da APPACDM (Associação Portuguesa dos Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental) de Anadia, e que tem o sonho de subir ao palco. Por último, Anita, que “cheia de vida e cor, adora cantar e dançar, com o seu vestido arco-íris”, é Ana Teresa Almeida, a mentora deste projeto, que conta com a colaboração de um interprete (oficial) de língua gestual da Escola Superior de Educação de Coimbra, tornando-o assim acessível a todos aqueles que não o conseguem ouvir.

Ao «Bairrada Informação», “Anita” defende ser este “um projeto de animação musical infantil distinto dos existentes”, que assenta em dois grandes pilares: inovação e inclusão. “Inovador porque alia pedagogia, arte e inclusão num único espetáculo; e inclusivo, quer pela composição do grupo (um dos protagonistas é um jovem especial), quer pela forma como cada música sobe ao palco: interpretada em língua gestual, para que todos tenham acesso ao espetáculo”, explica Ana Teresa Almeida, garantindo que “as músicas são originais e englobam mensagens e conteúdos pedagógicos, em conformidade com o nível de desenvolvimento das crianças”.

A mentora do projeto pretende “sensibilizar crianças e comunidade em geral para a diferença, acima de tudo respeitando-a, valorizando-a e integrando-a, seja pela diferença de cor, raça ou capacidades individuais”. E, por isso mesmo, não é de estranhar que na música “Os Animais São Bestiais!” apareçam crianças do Colégio da Curia que, animadamente a dançar, são os primeiros a quererem levar esta mensagem inclusiva a toda a sociedade.

Foi aliás o filho de Ana Teresa Almeida a levar consigo a ideia para a casa. “Sempre tive uma vontade muito grande de trabalhar com crianças, aliando a infância à música e à deficiência”, refere “Anita”, de trinta e seis anos, psicóloga há mais de uma década na APPACDM de Anadia. “No Colégio da Curia sensibilizam muito para a diferença, nomeadamente para a língua gestual, e sempre que há esses momentos o meu filho chega a casa bastante entusiasmado”, explica a mentora do projeto, levantando assim o véu de como foi o espoletar da ideia, tornada real através de uma música que pode agora ser visualizada no canal de youtube procurando por “Anita ao Ritmo do Coração – Os Animais São Bestiais!”.

A equipa prepara já outros temas musicais, cientes de que “é na música que se trabalham as emoções”, podendo os interessados acompanhar o projeto através do sitio na internet  https://anitaaoritmodocoracao.pt/.

 

Quem é “Anita”?

Ana Teresa Almeida iniciou a sua formação musical aos dez anos em guitarra clássica, tendo integrado, desde essa idade, vários corais como soprana, em especial, no Cluny Vox, sob a direção artística do maestro Celestino Ortet. Foi, em 1998, vencedora do Festival Nacional Juvenil da Canção pelo Colégio Nossa Senhora da Assunção.

Como gosta de cantar em diversos registos musicais, o fado tem sido também acarinhado por si, tendo já participado em diversas galas em salas de espetáculo a nível nacional.

No início de dezembro de 2019 lançou, publicamente, através dos meios digitais, o projeto “Anita ao Ritmo do Coração”.

 

 

Mónica Sofia Lopes