O protocolo de cooperação entre as Comissões Vitivinícolas da Bairrada, Beira Interior, Dão, Lisboa e Tejo foi, na manhã de sexta-feira, 10 de maio, assinado “no coração da Bairrada”, em Anadia. O protocolo “nasce” de uma candidatura, já aprovada no valor de seiscentos e trinta mil euros, para “Valorizar o Enoturismo na Região Centro”, no âmbito do novo “Programa de Ação para o Enoturismo”, lançado pelo Turismo de Portugal.

O protocolo consiste na estruturação e qualificação da oferta, nomeadamente, através da elaboração de um manual de boas práticas das atividades enoturísticas, um kit técnico-formativo e a conceção de produtos enoturísticos personalizados, com promoção destes produtos e a sua distribuição e comercialização. Outra das apostas é na formação, com o objetivo de capacitar mais de duzentos técnicos na área do Enoturismo, nas cinco regiões vitivinícolas.

“Portugal continua a crescer em todos os indicadores do turismo e os primeiros três meses de 2019 confirmam isso”. As palavras são de Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, que deu a conhecer o “Programa de Ação para o Enoturismo em Portugal”.

Estruturar a oferta e não ter o foco somente “no sol e na praia” é a premissa do Turismo de Portugal que pretende que este dure “todo o ano, chegue a todo o território e consiga captar os ‘melhores turistas’, os que gastam mais e ficam mais tempo”. Para isso, garante Luís Araújo, “é preciso mais promoção e formação das pessoas na área do enoturismo”.

E no plano do Turismo de Portugal para os próximos três anos está previsto serem gastos no setor cinco milhões de euros. No imediato, e para breve o seu lançamento, está a ser criada uma plataforma digital única, que agregará toda a oferta de enoturismo do país.

“A formação será outra das grandes apostas mas áreas da gastronomia e do vinho”, continuou o presidente do Turismo de Portugal, acrescentando que “a participação em redes internacionais e a captação de grandes eventos da especialidade” só trarão vantagens ao processo.

“Estamos a dinamizar um grande projeto de sustentabilidade que possa captar turistas o ano inteiro”, enfatizou Luís Araújo, garantindo que o programa “Valorizar” contou com mil e oitocentas candidaturas, sendo um terço da região Centro: “E das aprovadas, quarenta por cento são desta região também”. “Só juntando vontades, projetos e iniciativas conseguimos chegar mais longe”, concluiu.

Também Pedro Soares, presidente da Comissão Vitivinícola da Bairrada, declarou que “o enoturismo é uma atividade que se baseia cada vez mais na genuinidade e na apresentação de um produto ímpar e diferenciador”, defendendo “a valorização dos territórios, das vinhas, dos vinhos e da vinicultura”.

 

Já Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, garantiu que “cada vez há mais produtores, empresas e empresários” e que, se no passado, a região Centro era procurada somente por “franceses e espanhóis”, hoje “temos visitantes de todo o mundo, inclusive asiáticos”. “Chegamos à conclusão de que o sucesso se deve à diversidade de uma região tão bem arrumada”, afirmou.

A sessão da passada sexta-feira realizou-se no Museu do Vinho da Bairrada, um espaço que Teresa Cardoso, presidente da Câmara de Anadia, explicou ter sido construído “há muitos anos” e que “nasceu para o enoturismo”. “O nosso concelho tem trabalhado muito para promover o concelho e a região. Temos belíssimas ideias e bons projetos”, elogiou a edil, apelando, no contexto do turismo, para que haja “um olhar muito atento para as nossas Termas”.

 

“Rota da Bairrada” difunde região

Na cerimónia, o projeto, formalizado em 2006, “Rota da Bairrada” foi elogiado por diversas vezes. Uma associação presidida por Jorge Sampaio que começou com duas dezenas de associados, mas que, em 2019, já ultrapassa os noventa. Para além disso, conta com dois espaços físicos, um na Curia e outro em Oliveira do Bairro, e ainda uma loja online.

“Em 2017, os dois espaços contaram com cerca de dez mil e seiscentos visitantes”, afirmou Jorge Sampaio, garantindo que há um trabalho de divulgação da Bairrada, uma região que em 2006 obteve vinte e seis mil visitantes e, em 2016, oitenta e dois mil.

“Há um trabalho de treze anos por parte da Rota, mas também um forte investimento dos nossos agentes privados”, elogiou o presidente da Associação.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Galeria de fotografias, de JOSÉ MOURA, em https://www.facebook.com/bairradainformacao/