Partiu do sonho de uma mulher que hoje ajuda a realizar os sonhos de outras centenas. Chama-se “Adoro ser mulher” e é uma rede internacional com o foco exclusivo no empreendedorismo feminino. O primeiro encontro de gestoras, em 2019, realizou-se no concelho da Mealhada, no passado domingo (3 de fevereiro).

A primeira Rede Social Internacional criada em Portugal, de apoio à Mulher Profissional, com mais de mil contactos, de onze países diferentes, encontra-se, desde 2014, em https://www.adorosermulher.com/.

Ali, qualquer mulher empreendedora ou com motivações para tal, pode fazer o seu registo, gratuito, e ter contacto e o apoio de outras mulheres. Ao «Bairrada Informação», Ana Cláudia Vaz, mentora e presidente da associação, sem fins lucrativos, explica que “oitenta por cento da rede é portuguesa” e que o seu crescimento tem sido cada vez maior. “No primeiro almoço convívio, que organizei no rio Tejo, éramos oitenta, hoje somos mais de mil”, explica.

A rede, que também permite que haja associadas nas categorias de estudante, gold e diamond, mediante o pagamento de um quota anual, proporciona vantagens e benefícios em atividades e eventos organizadas pelo movimento.

Ao associar-se, “abre-se uma porta de acesso a uma rede, que faz crescer de forma mais privada os contactos, proporciona uma ligação entre potenciais clientes e parceiros, através de ‘networkings’, seminários, formações e feiras, bem como acompanha histórias de carreira inspiradoras, que não se partilham em mais lado nenhum”.

“Temos uma corrente muito positiva, com casos de sucesso que incentivam outras mulheres a perderem, fundamentalmente, os seus medos e a irem em frente com os seus sonhos”, enaltece Ana Cláudia Vaz, referindo que a rede já proporcionou encontros em Cabo Verde, Brasil e Toronto.

Formações, cursos online e reuniões são muitas das atividades que as mulheres desta Rede vão gerindo ao longo do ano, provando assim, e como diz a sua mentora, “de que é mito dizer-se que as mulheres se dão mal quando estamos ou trabalhamos todas juntas”. “Esta rede prova precisamente o contrário”, elogia.

Depois de Sintra, será Guimarães, a receber, em 2019, a Feira Empreendedorismo Feminino Intercultural, cujo balanço, do evento no ano passado, “é bastante positivo”.

Ana Cláudia Vaz com António Gravato, da Fundação Bussaco

O encontro das gestoras nacionais, no passado dia 3 de fevereiro, aconteceu no Restaurante “O Castiço”, cuja proprietária, Carla Carvalheira, é um dos elementos da Associação. Antes da reunião e do almoço com Leitão da Bairrada, as gestoras plantaram uma Cameleira (Camellia theaceae) no Bussaco, na zona da Fonte do Carregal, com vista para o Hotel Palace. À tarde, decorreu uma visita às Caves Messias.

“Para além do encontro ter sido muito giro e em espaços fantásticos, a reunião serviu, para mais uma vez, aprendermos com as redes umas das outras e partilharmos os sucessos de cada uma”, acrescentou.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografias com Direitos Reservados