A Academia de Dança do Hóquei Clube da Mealhada levou a cabo o espetáculo de final de ano letivo «Fábrica de Brinquedos», no passado fim-de-semana. O enredo foi repetido em três sessões, que se realizaram no Cineteatro Messias, tendo assistido a cada uma cerca de duas centenas de pessoas. Para o evento, bailarinos e elementos do staff, 90 pessoas no total, foram testadas à covid-19, tendo todos tido resultado negativo.

«Era um dia normal de trabalho e todos trabalhavam com muito afinco para não desiludir as nossas crianças. Mas quando menos esperavam os brinquedos ganharam vida e foi uma grande animação». É assim que começa a história de um espetáculo, com duração de uma hora, e que envolveu peluches, robots, soldadinhos de chumbo, bonecas de trapos, trabalhadoras da fábrica, bailarinas das caixas de música, bonecas de corda, barbies e «broken dolls».

«Num ano em que a pandemia obrigou a grandes alterações em todas as salas de aula, foram muitas as horas que estes bailarinos passaram a dançar para um ecrã de computador, mantendo sempre viva a paixão pela dança. Em Abril foi finalmente possível voltar à sala da Academia de Dança e, apesar de todas as limitações e cuidados adicionais inerentes à época que atravessamos, era grande o desejo de fechar o ano letivo com tradicional espetáculo de final de ano, cancelado em 2020», lê-se num comunicado de imprensa do Hóquei Clube da Mealhada, que acrescenta que «essencial para a concretização do espetáculo foi a estreita colaboração entre o HCM e o Município da Mealhada, que disponibilizou não só o Cineteatro e pessoal de apoio, mas também os meios que permitiram testar todos os bailarinos e ajudantes de bastidores». «Foi possível subir ao palco com a segurança de ser uma “Academia de Dança zero Covid”», enfatiza a direção do clube.

Em palco estiveram cerca de 70 bailarinos(as) que exibiram o espetáculo «Fábrica de Brinquedos» coreografado pelas professoras Catarina Gomes, Adriana Dinis e Carolina Piedade. «A Academia de Dança HCM despede-se para férias com a certeza de que todos somos mais felizes a dançar (e a ver dançar) e promete voltar aos palcos já em outubro para comemorar os seus 20 anos de existência», remata, ao nosso jornal, o clube.

Mónica Sofia Lopes