A Pedra de Ançã foi distinguida como uma marca portuguesa e um ícone de referência nacional que em 2021, estatuto que resulta de mais uma atribuição no âmbito do Prémio Cinco Estrelas Regiões/2021.

«A distinção foi entregue numa sessão que decorreu a nível nacional, via online, com a apresentação pública dos vencedores Cinco Estrelas Regiões a estar a cargo do apresentador José Figueiras, num formato de programa de entretenimento em direto com a participação dos vencedores, com boa energia, Portugalidade, muita animação, e, claro, cheio de surpresas Cinco Estrelas», enaltece a Autarquia de Cantanhede.

Em representação do Município de Cantanhede, esteve o vice-presidente Pedro Cardoso, que a este propósito assinalou que “esta distinção – Prémio 5 Estrelas Regiões é obviamente um motivo de orgulho pelo reconhecimento do valor artístico dos trabalhos em Pedra de Ançã, assim como a importância e interesse cultural e patrimonial, o prestígio, a relevância histórica desta preciosidade que permitiu fazer algumas das mais belas obras em termos de escultura e arquitetura. A Pedra de Ançã marca presença quer nas catedrais, igrejas, palácios, solares, mas também no espaço publico e nas casas mais simples do povo”.

O autarca recordou ainda o Museu da Pedra do Município como “um hino museológico à Pedra de Ançã, matéria-prima por excelência da arte, da escultura e arquitetura da renascença coimbrã” destacando que “Coimbra foi na época Medieval e na Renascença um grande centro de escultura, o que muito deve à Pedra de Ançã. Grandes escultores radicaram-se em Coimbra, tendo produzido obras notáveis: Mestre Pero, João Afonso Diogo Pires, o Moço, Diogo Pires, o Velho, Nicolau Chanterenne, que fez o portal e os túmulos dos reis D. Afonso Henriques e D. Sancho I para a Igreja de Santa Cruz; João de Ruão que talhou a Porta Especiosa e o altar da Capela do Santíssimo Sacramento da Sé Velha bem como magnífico púlpito de Santa Cruz, para citar só alguns exemplos de alguns escultores, monumentos e obras”.

Também o presidente da Junta de Freguesia de Ançã, Cláudio Cardoso, se manifestou “bastante satisfeito com mais este galardão atribuído a um dos pilares identitários da nossa histórica vila”, que “depois da participação nas 7 Maravilhas, precisamente com “Arte em Pedra de Ançã” viu agora este tesouro receber mais uma distinção”.