Depois de um interregno em 2020, provocado pela pandemia por covid-19, o festival MeaJazz regressa, para a sua quarta edição, nos próximos dias 3 e 4 de setembro. Os espectáculos saltam do Jardim Municipal da Mealhada para a sala do Cineteatro Messias, limitando assim o número de pessoas no público, mas mantendo a gratuitidade. Para além disso, e para quem quiser, estarão disponíveis testes à saliva (PCR), antes da entrada nos espetáculos, e a Autarquia da Mealhada promete incentivar o público à realização dos mesmos.

A edição de 2021 levará ao palco do Cineteatro Municipal Messias, na Mealhada, «diferentes correntes e sonoridades musicais trazidas por artistas / grupos de quatro países: Bielorrússia, Itália, Brasil e Portugal». O festival, de entrada gratuita, conta, desde a primeira edição, com o apoio do restaurante Rei dos Leitões e com o apoio da produção da Motivos Alternativos – Associação Cultural.

Assim, a 3 de Setembro, Maria Casal (Portugal), Ciro Cruz Quartet (Brasil) e Sónia Pinto (Portugal) serão os artistas no primeiro dia do evento; e a 4 de Setembro, o palco será de Cucoma Combo (Itália), Mova Dreva (Bielorrússia / Portugal), Vénus Matina (Portugal) e a encerrar do artista, natural da freguesia de Barcouço, concelho da Mealhada, Luís Martelo com as Filarmónicas Lyra Barcoucense e Pampilhosense (Portugal).

Para o presidente da Câmara da Mealhada, o espectáculo torna-se ainda mais especial pela presença do jovem músico Luís Martelo que foi, recentemente, galardoado, com a Medalha de Bronze dos «Global Music Awards». «Grande gosto em receber todos os músicos, em especial o Luís Martelo», declarou Rui Marqueiro, garantindo que o Município «fará de tudo para que o público faça testes da saliva antes dos espetáculos. «Talvez até possamos ter alguém ligado à saúde connosco nos dias dos concertos», afirmou.

Em situações normais a lotação do Cineteatro é de 368 lugares sentados. «Agora, com a pandemia apenas temos disponíveis 188», referiu o edil, explicando a mudança de local do evento com o facto de no Jardim Municipal «não conseguirem controlar o número de pessoas».

Presente na conferência de imprensa, que se realizou, na manhã de ontem, nos Paços do Concelho da Mealhada, António Paulo Rodrigues, gerente do Rei dos Leitões, garantiu que «estas iniciativas colocam a Mealhada no roteiro da cultura em Portugal» e que «trazem sempre muito público ao Rei e a outros restaurantes», lamentando que outras empresas não apoiem «este tipo de eventos».

Pedro Seixas, da Motivos Alternativos, apelidou o cartaz de 2021 de «incrível», sublinhando o facto «de ser melhor a cada ano que passa».

Recorde-se que o Meajazz teve início em 2017, numa clara aposta da Câmara da Mealhada «na diversificação da oferta cultural na cidade e até na região, uma vez que não existe nenhum evento do género nas proximidades e com entradas completamente livres».

 

 

Mónica Sofia Lopes