O mealhadense Pedro Miguel Mota, de 31 anos, inaugurou, no passado dia 11 de junho, a exposição fotográfica da sua autoria intitulada «Sardas», no restaurante «Maria Leonor», em Santa Luzia, no concelho da Mealhada. A mostra esteve patente até ontem.

O foco pelas sardas surge em 2015, quando Pedro Mota, nas Festas da Senhora d’Agonia, em Viana do Castelo, fotografou, pela primeira vez, uma rapariga de sardas. «O bichinho cresceu e, em 2018, decidi desenvolver um projeto fotográfico que irá terminar num livro contendo todas as fotografias que tenho feito, conteúdos sobre cuidados com a pele e pequenas histórias a que as sardas estão associadas desde o início dos tempos», explicou, ao Diário de Coimbra, o jovem, que, para além, de não conseguir descrever em palavras o quão «belo» considera as sardas, refere também que a exposição pretende «consciencializar a população para a preocupação e cuidados que devem ter com a pele».

De 2018 até então, Pedro Mota já fotografou cerca de quinze modelos com sardas, na sua grande maioria da zona Norte do país, por ser aí, sublinha, «que se concentra o maior número de pessoas com sardas, em relação ao resto do país».

Neste momento, o jovem está concentrado em fotografar «folclore e tradições populares portuguesas, com maior incidência no Norte do país», garantindo que a fotografia «foi uma paixão que com o tempo se transformou em algo mais sério e profissional».

No restaurante que frequenta em Santa Luzia, Pedro Mota viu as condições ideais para a mostra do seu trabalho. «Sempre que lá vou, vejo o potencial que o espaço tem, simples e com paredes brancas. Achei que ao expor as fotos, para além de oferecer aos visitantes uma nova visão, também seria, claro, uma forma de expor as imagens, partilhando-as com muito mais pessoas», explica, garantindo que a gerente do espaço aceitou a proposta «de bom agrado», tendo o fotógrafo, para o efeito, escolhido duas dezenas de fotografias de uma panóplia de cem.