O projeto artístico «180º Mealhada», promovido pela Living Place, executado por alunos da Escola Profissional da Mealhada e financiado pela Câmara Municipal, «espalhou», pelas seis freguesias do concelho, trabalhos de arte urbana. Na sexta-feira, antes mesmo de estar terminado, o mural de Barcouço foi «vandalizado».

O projeto foi executado, na semana passada, por alunos do 10.º ano do curso de Multimédia da EPVL, e correu as localidades de Barcouço, Casal Comba, Luso, Mealhada, Pampilhosa e Vacariça. Uma «Urban Art» que tem como finalidade criar uma rota cultural associada a esta corrente artística e onde, em cada mural, «existirá um código QR de leitura, que pode ser visto através de telemóvel, com informação sobre o desenho, localização exata do percurso (com mapa incluído), história do local e autores».

«Seis murais que foram desenvolvidos de acordo com os aspetos identitários de cada freguesia, tendo os alunos desenvolvido várias propostas para cada um», referiu, na última reunião do executivo, Nuno Canilho, vereador na Câmara da Mealhada, e responsável pelo pelouro da Cultura, adiantando que «o de Barcouço só termina esta semana porque é mais trabalhoso». «Uma obra que ainda não estava acabada e já estava a ser destruída, uma vez que na sexta-feira já tínhamos boa parte dela vandalizada», lamentou o autarca, referindo-se ao arranque forçado de tinta detetado no mural de Barcouço.

 

 

Imagem com Direitos Reservados