Foi há 84 anos, no dia 26 de maio de 1937, que, pela mão de Elpídio Martins Semedo, nasciam as Caves dos Solar de São Domingos, «uma das mais emblemáticas e históricas empresas da Bairrada».

«Nesta época, este empresário tinha escritórios em Lisboa para onde se deslocava semanalmente tomando o comboio na Curia rumo à capital. Paralelamente, com o negócio das madeiras para a construção civil expandiu a marca “SÃO DOMINGOS” divulgando os espumantes, vinhos e aguardentes produzidas na adega e destilaria das Caves do Solar de São Domingos. Com o falecimento do fundador em 1968, o seu genro Adelino Campos Ferreira, que vivia em Lisboa, veio para Ferreiros dirigir a empresa. Infelizmente e por pouco tempo, pois viria a falecer cedo», desvenda a empresa, que acrescenta que «posteriormente, em 1970, surge Lopo de Sousa Freitas, um homem incontornável no processo de crescimento e expansão das Caves, trazendo, com a sua experiência, uma nova dinâmica, criatividade e reforço da posição no mercado nacional e internacional. Vários obstáculos foram ultrapassados, nomeadamente. o grande incêndio em 1985, fazendo a empresa renascer das cinzas».

Em 2000 a empresa toma a decisão de vinificar de novo dos seus próprios vinhos. Erguida uma moderna adega, criaram-se condições que permitiram receber uvas dos 20 hectares que possui, bem como de viticultores que fornecem uvas em regime de exclusividade. «Um dos grandes desafios atuais das Caves do Solar de São Domingos passa inevitavelmente pelo reforço da marca “Bairrada” dentro da empresa. Por isso, é firme intenção imediata da administração ter toda a sua produção de espumantes, vinhos e aguardentes com certificação “Bairrada”, nos 100 hectares que domina nesta região demarcada», enaltece a empresa que «tem lançado para além de espumantes com estágio cada vez mais prolongado, sempre pelo método clássico e leveduras livres, e vinhos tintos e brancos de elevado nível qualitativo».

Com forte investimento na viticultura tem uma enorme variedade de uvas, com destaque para a Baga, procurando ao longo dos últimos 10 anos encontrar as condições perfeitas para lançar um vinho 100% Baga que se destacasse entre os grandes vinhos nacionais.

Este mesmo vinho viria a ser reconhecido com qualidade destacada, que permitiu a distinção de “Bairrada Clássico”, atribuído pela Câmara de Provadores da Comissão Vitivinícola da Bairrada.

A vertente de Enoturismo é a grande aposta das Caves São Domingos, para a próxima década, tendo sido instalado o ano passado, uma vinha pedagógica com uma mostra de cinquenta e uma variedades de plantas nacionais e internacionais para observação do comportamento das mesmas nos solos bairradinos e permitir aos inúmeros turistas que nos visitam a observação das videiras, bem como provas de vinhos acompanhados pela equipa de enologia e viticultura.

Na edição comemorativa dos 84 anos a empresa selecionou três vinhos tintos “LOPO DE FREITAS” em caixa de luxo numerada de 1 a 50 onde pode encontrar a colheita de 2015, 2016 e «Baga» 2016.

«O futuro é de esperança, energia e determinação. Planeamos com tempo e determinação, cientes de que o percurso das Caves do Solar de São Domingos será de constante afirmação como uma das mais reputadas empresas nacionais», revela, em comunicado, a empresa.