O Município de Anadia vai avançar com a remodelação e ampliação da Escola do 1.º Ciclo da Moita, com um valor base de 499.500,00 euros e um prazo de execução de doze meses. O primeiro passo para a concretização deste desiderato foi dado, com a aprovação do projeto e do lançamento do concurso da empreitada.

“A Câmara Municipal deliberou avançar com esta empreitada, considerando a oportunidade para apresentação de candidatura a Fundos Comunitários, no âmbito do Programa CENTRO 2020. Este Centro Escolar pretende servir os alunos provenientes da área mais a nascente do município, com uma área de influência circunscrita à freguesia, com exceção da localidade de Póvoa do Pereiro”, lê-se num comunicado da Autarquia, que acrescenta que é “de salientar que o edifício apresenta deficiências, tanto a nível funcional, como construtivo, deixando de cumprir a legislação atual em vigor, não transmitindo uma atmosfera de conforto e de comodidade”.

A nova solução arquitetónica pretende preservar e remodelar o edifício principal e projetar um novo edifício complementar, de modo a dar cumprimento à legislação em vigor. O projeto pretende conciliar harmoniosamente duas linguagens arquitetónicas distintas.

A intervenção irá permitir a criação de espaços de ensino, sociais e de apoio, designadamente duas salas de aula, biblioteca, sala polivalente, refeitório, gabinetes de professores e de atendimento, copa, instalações sanitárias para alunos, para pessoas com mobilidade condicionada e para adultos.

“De referir que esta intervenção faz parte de um pacote de investimentos mais vasto que o Município tem vindo a realizar, nos últimos anos, na área da Educação, no sentido de dotar os estabelecimentos de ensino do 1.º ciclo, em funcionamento no concelho, de melhores condições de conforto e de aprendizagem para um ensino de maior qualidade.

Durante o decorrer das obras, a Escola de acolhimento dos alunos será a Escola de Ferreiros que, entretanto, sofrerá pequenos investimentos, de forma a dotar este espaço de condições essenciais e adequadas para o seu funcionamento”, conclui ainda o documento.