“Esta é uma das grandes obras do concelho”, disse Jorge Almeida, Presidente da Câmara Municipal de Águeda, referindo-se à renovação do quartel dos Bombeiros Voluntários de Águeda, cuja intervenção está em fase de conclusão. Apesar de estar a ser ultimado em alguns detalhes não operacionais, os “soldados da paz” começam hoje a utilizar as camaratas, um momento que foi simbolicamente assinalado com uma visita às instalações.

O quartel foi alvo de uma renovação profunda, reajustando o edifício existente a novas funcionalidades e a uma maior operacionalidade face às exigências do exercício da atividade dos Bombeiros de Águeda. “Esta obra é indiscutivelmente merecedora de uma grande inauguração porque é, antes de mais, não apenas uma obra para os bombeiros, mas para todo o concelho. Hoje é um dia muito importante porque se começa a utilizar este espaço, que representa também um ato de grande coragem da direção e à qual a Câmara Municipal não poderia deixar de dizer presente, de acordo com as legítimas expetativas dos bombeiros. Prova que com trabalho de equipa tudo fica mais fácil e as obras acontecem”, declarou Jorge Almeida, considerando que os bombeiros, como “o braço mais armado da Proteção Civil”, têm agora melhores condições para prestarem o seu serviço às populações.

Para além de realçar as condições de qualidade que o quartel tem para os 106 “heróis” que fazem parte dos membros ativos da corporação, o Presidente da Câmara de Águeda aproveitou o momento para anunciar que o Município já se disponibilizou para acolher mais uma EIP (Equipa de Intervenção Permanente), desta vez para ficar sediada em Agadão.

Manuel São Bento, presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Águeda (AHBVA), agradeceu “a compreensão e tolerância dos bombeiros durante o período de obras” e enalteceu a “colaboração inexcedível da Câmara Municipal” para que hoje os “soldados da paz” tenham melhores condições para prestar socorro às populações. “Mas ainda há muito trabalho a fazer”, disse, acrescentando que “hoje se inicia um novo ciclo”.

O quartel dispõe de uma nova central, onde estão instalados painéis de observação e controlo, nomeadamente o quartel online, um de videovigilância e um outro de geolocalização de viaturas. Também foi criado um espaço (dividido em duas salas) para instalar um gabinete de crise, sempre que seja necessário em situação de incêndios ou outra catástrofe natural.

Estão criadas camaratas femininas e masculinas (com respetivos balneários), num total de 29 camas, para além de ter sido determinado um espaço para colocação de 18 beliches (36 camas) que tanto poderão ser usados pelos bombeiros locais ou para outras funcionalidades, como o apoio a peregrinos ou suporte logístico para quando outros grupos da proteção civil vêm a Águeda e que poderão usar o quartel como base operativa.

Gabinete e secretaria de comando, posto médico e arrecadação são outras áreas que foram intervencionadas, para além de ter sido colocado um posto de abastecimento de combustível próprio para uso exclusivo da corporação.

Refira-se que as obras de renovação do quartel dos Bombeiros Voluntários de Águeda custaram cerca de um milhão de euros, sendo comparticipada em 600 mil euros pelo POSEUR. A Câmara Municipal de Águeda apoiou a instituição com 200 mil euros para comparticipação das despesas não financiadas pelo referido programa comunitário e 50 mil euros para a aquisição de equipamento e material necessário à instalação de serviços, perfazendo 250 mil euros de incentivos camarários para as obras do quartel.

A estes valores acresce o apoio anual concedido aos bombeiros (138.591,15 euros), pelo que a Câmara de Águeda, no ano passado, atribuiu um total de 388.591,15 euros à AHBVA.

De recordar ainda que, em dezembro do ano passado, a Câmara de Águeda cedeu as instalações da antiga escola de Belazaima do Chão à AHBVA, onde está a criar um centro de formação para os bombeiros, não só locais como do distrito, e que se espera venha a ser uma “referência na área em termos nacionais”.

 

 

Fonte: Município de Águeda