A Gala dos Globos do Samba 2020, uma iniciativa que, anualmente, premeia os sambistas de todo o país, foi transmitida, via online, na tarde de domingo, 27 de dezembro. Em representação do Carnaval da Mealhada, os Sócios da Mangueira arrecadaram o primeiro lugar nas categorias de «samba-enredo» e «mestre-sala»; a escola de samba Amigos da Tijuca venceu na categoria «ala de passistas feminina»; e o Batuque tem a «melhor porta-bandeira» do país.

Foi «sem som da caixa e o toque de tamborim» que se realizou a cerimónia dos Globos de Samba de 2020, uma organização do «Samba com Vida» da escola Trepa Coqueiro de Estarreja. Em jogo estiveram diversas categorias – individuais, coletivas e de mérito -, em que cada uma tinha quatro nomeados, num processo que foi alvo da votação do público, também por via online. Em todas, a avaliação refere-se sempre ao ano transato, neste caso, à prestação de cada escola em 2019.

Da Póvoa da Mealhada, os Sócios da Mangueira venceram nas categorias de «samba-enredo» (onde se avalia a letra e música) e de «mestre-sala» representada por Renato Sabão. A escola estava ainda nomeada nas categorias para «melhor escola em palco»; «melhor carnavalesco / comissão de carnaval», representada por Inês Machado, «melhor grupo / ala passistas feminina»; para a «comissão de frente»; «melhor harmonia»; «melhor rainha da bateria» representada por Raquel Pombo; «melhor porta-bandeira» e «melhor bateria». «Parabéns “Mestre Sabão” e Alexandre Lopes. Neste ano completamente atípico, que nunca deixemos de fazer o melhor pelo samba em Portugal», escreveram os Sócios da Mangueira no Facebook, ao início da noite deste domingo.

De Enxofães, concelho de Cantanhede, os Amigos da Tijuca arrecadaram o primeiro lugar na categoria «grupo / ala passistas» feminina, onde se enaltece o desempenho ao longo do ano, quer em palco, quer em desfile. A escola estava ainda nomeada na categoria de «comissão de frente». «Este prémio é o reflexo da evolução, do esforço e dedicação das nossas meninas. É também fruto de um trabalho contínuo liderado por Lúcia Covas e Rafaela Gonçalves. Estamos muito gratos, tanto pelo reconhecimento do trabalho das nossas passistas a nível nacional, como por todo o carinho!», lê-se na página oficial da escola na rede social Facebook.

O título de melhor «porta-bandeira» do país também veio para a Mealhada, para o Grémio Recreativo Escola de Samba Batuque, representado por Rita Fernandes. A escola estava ainda nomeada na categoria de «mestre-sala», representada por Alcides Ferreira. «É com o maior orgulho que tenho o prazer de dizer: Batuque, Batuqueiros, este prémio é nosso! Porque são vocês e a história da nossa escola que eu represento quando carrego o nosso Pavilhão! É esse o papel de uma Porta-Bandeira!», escreveu também nas redes sociais Rita Fernandes.

A Gala online ficou ainda marcada por diversas mensagens, que foram sendo transmitidas, de alguns elementos de escolas do Brasil, nomeadamente, coreógrafos da Mangueira e a porta-bandeira do Salgueiro.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografias de José Moura