Os eleitos na Assembleia de Freguesia de Casal Comba apreciaram, na sessão online que decorreu na noite da passada segunda-feira, os subsídios atribuídos a diversas entidades durante o ano de 2019, num montante total de 17.285 euros. «São as forças vivas da freguesia e trabalham com recursos limitados. É importante que estejamos presentes nas necessidades do dia-a-dia», declarou, ao nosso jornal, Nuno Veiga, presidente da Junta de Freguesia, numa altura em que a atenção está também focada na prevenção da pandemia por Covid-19.

Assim, para o Grupo Motard Roda Moinas, no Carqueijo, foi atribuído um montante de quatro mil euros; para o Sport Clube do Carqueijo 2.500 euros; para o Rancho Folclórico de São João 2.200 euros; para o Centro Cultural Recreativo e Desportivo da Lendiosa dois mil euros; para o Centro Social da Freguesia de Casal Comba 1.400 euros; e para a Delegação no Concelho da Mealhada da Cruz Vermelha Portuguesa foram entregues 1.250 euros.

Foram ainda atribuídos 850 euros à Comissão Fabriqueira da Igreja Paroquial de Casal Comba e aos Escuteiros; 510 euros à Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental; e 275 euros à Associação Patris – Património Silvã e à Associação de Defesa Animal da Mealhada – Vira Lata, Vira Amor. O Grémio Recreativo Escola de Samba Real Imperatriz e o Grupo Coral Columba receberam 250 euros cada uma; a Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas da Mealhada 150 euros; e a Liga Portuguesa Contra o Cancro 125 euros.

Executivo da Junta de Casal Comba

Na mesma sessão foram também aprovados os documentos de prestação de contas relativos ao ano transato. «O orçamento inicial da Receita para 2019 foi aprovado com uma previsão de receitas no montante 142.180.99 euros, sendo que sofreu uma revisão durante o exercício aumentando o seu valor para 178.987.54 euros. A receita liquidada e cobrada totalizou 160.593.83 euros», lê-se no relatório, que acrescenta ainda que «o orçamento da despesa encerrou com uma dotação final de 179.987.54 euros, dos quais foram compromissados 160.126.54 euros, realizados e pagos 158.447.19 euros, resultando um grau de execução da despesa de 88.52%».

«O nosso maior investimento prendeu-se com a construção da primeira fase do Cemitério do Carqueijo», declarou Nuno Veiga, sobre uma obra orçamentada em 33 mil euros e que incidiu, fundamentalmente, nos muros de vedação e no fecho Cemitério, uma questão acelerada devido à atual pandemia, uma vez que o Cemitério existente já não tem capacidade para mais funerais.

«Estamos focados em apoiar as nossas instituições – jardins-de-infância, escola, Centro Social e APPACDM – a combaterem o surto, colaborando na compra de material, como álcool gel, luvas e batas descartáveis. Apoiamos recentemente a comissão fabriqueira da Igreja aquando do regresso à realização de missas, adquirindo doseadores, bem como máscaras e luvas», explicou o autarca, revelando que já foram gastos cerca de cinco mil euros em material, mas também «em desinfeções, nos Cemitérios da freguesia».

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Imagem com Direitos Reservados