Em tempos de pandemia, da região da Bairrada volta a «nascer» uma inusitada aposta, com as Caves São Domingos, de Anadia, a promoverem uma «prova de vinhos» digital onde participaram cerca de três dezenas de pessoas. Nos dois vinhos brancos em prova, um de 2018 e outro de 2019, que as Caves fizeram chegar aos participantes, estiveram representadas duas mais tradicionais castas da Bairrada: Bical e Maria Gomes.

Com oitenta anos de história, o ano de 2020 assinala duas décadas em que as Caves São Domingos voltaram a produzir uvas para os seus próprios vinhos e o balanço é positivo. O ano começou, aliás, com um conjunto de iniciativas das quais se destacaram os jantares mensais temáticos, com vista a dar a conhecer aos clientes e amigos toda a envolvente das Caves antes do vinho ser servido à mesa.

Suspensos, para já, os contactos pessoais e os convívios devido à pandemia e medidas de proteção resultantes disso, as Caves não pararam e «abraçaram», com maior força, o meio digital. «Temos que nos adaptar, mudar os nossos hábitos, criar novas abordagens com os clientes, recorrer cada vez mais aos meios digitais, porque eles vão ser a ferramenta essencial para o êxito das nossas vendas», referiu, ao «Bairrada Informação», Alexandrino Amorim, das Caves São Domingos, enfatizando que «há mês e meio não passava pela cabeça de nenhum de nós estarmos reunidos desta forma e muito menos a fazermos provas de vinhos online».

E a primeira prova online da São Domingos aconteceu no final da tarde da passada segunda-feira, onde, entre muitos participantes e para além de Alexandrino Amorim, estiveram Eugénia Freitas, presidente do conselho de administração das Caves; Joaquim Luís, da Churrasqueira Rocha; Rui Ferraz, do Restaurante Dom Ferraz; José Carlos, da Garrafeira de Celas; Miguel Ferreira, d’A Lei do Vinho; e Pedro Soares, da Comissão Vitivinícola da Bairrada. Os convidados, que receberam as garrafas nas suas casas e/ou locais de trabalho trocaram o «habitual» espaço de convívio fechado e acolhedor das Caves pela plataforma da internet Zoom, dando lugar a uma prova de vinhos por videoconferência.

«Hoje a prova é dedicada a vinhos brancos e seria injusto que o São Domingos Branco Seco não fosse recordado, pois, foram largos os milhares de garrafas que saíram das Caves, durante várias décadas, a confirmar uma vez mais que a Bairrada é uma região com potencial extraordinário em vinhos brancos e em que todos nós devemos acreditar», declarou, na sessão, Alexandrino Amorim enfatizando, perante a «plateia» de clientes, parceiros e jornalistas de que «a forma como se vai voltar ao mercado terá que ser abordada de maneira muito diferente daquela a que estávamos habituados». «A prova disso mesmo é a forma como estamos aqui hoje», enalteceu.

E por conta disso, Alexandrino Amorim não tem dúvidas de que na passada segunda feira foi «escrita mais uma página no longo historial da empresa». Uma empresa onde laboram cerca de 40 funcionários e que, segundo Alexandrino Amorim, tem agora «um novo futuro de adaptação pela frente».

 

 

Mónica Sofia Lopes