A candidatura da Escola Profissional Vasconcellos Lebre, na Mealhada, a um Centro Qualifica, vocacionado para a qualificação de adultos com idade superior a vinte e três anos, foi aprovada, tendo sido a mais bem classificada de toda a região de Coimbra. Como pontos fortes do projeto, a Agência Nacional para a Qualificação e Ensino Profissional destacou a rede de parcerias previstas, bem como a sua itinerância.

O que há muito era ansiado pela Escola Profissional da Mealhada já tem “luz verde” para começar a funcionar. “O Centro Qualifica pretende desenvolver processos de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC) escolares e profissionais, mas também colaborar com jovens e adultos na identificação de respostas educativas e formativas adequadas ao perfil de cada um, mesmo que isso resulte num encaminhamento para outros Centros, que não o nosso”, explicou, ao «Bairrada Informação», Cláudia Melo, coordenadora na EPVL, destacando que “em alguns casos, haverá candidatos que ficarão com dupla de certificação, a escolar e a profissional”.

“Sentimos necessidade de dar uma resposta na formação de adultos, num concelho que é atrativo por natureza, também na área do ensino”, declarou Nuno Canilho, gerente na EPVL, garantindo que, “todos os anos, quando abriam as candidaturas para os cursos profissionais, muitas pessoas ligavam a perguntar se os podiam frequentar para concluírem o nono ou o 12.º ano, o que era impossível porque nos nossos cursos os alunos têm que concluir até aos vinte e três anos”.

Ultrapassada essa barreira, serão, para já, quatro as áreas de aposta relativamente ao RVCC profissional, que dará assim acesso a uma dupla certificação: Hotelaria e restauração; trabalho social e orientação; serviços de apoio a crianças e jovens; eletricidade e energia. De acesso ao nono ano estarão disponíveis as ofertas de cozinheiro(a), empregado(a) de restaurante e bar, agente em geriatria, cuidador de crianças e jovens, eletricista de redes e de instalações. Já no que toca à equivalência ao 12.º ano, os cursos com possibilidade de serem abertos são técnico(a) de Cozinha / Pastelaria, técnico(a) de Restaurante / Bar, técnico(a) de apoio familiar e de apoio à comunidade, técnico(a) de ação educativa e técnico(a) de eletrotecnia.

Mas o ponto forte da candidatura, aprovada há cerca de duas semanas, passa pelas parcerias estabelecidas, nomeadamente, com o Município da Mealhada; a Associação Comercial e Industrial da Bairrada e Aguieira; as Juntas de Freguesia de Barcouço, Casal Comba, Luso, Pampilhosa, Vacariça e União das Freguesias da Mealhada, Ventosa do Bairro e Antes; Santa Casa da Misericórdia da Mealhada; restaurante Churrasqueira Rocha; Centro Social da Freguesia de Casal Comba; Jardim de Infância Dr.ª Odete Isabel; IJN – Engenharia e Serviços, Lda.; e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Mealhada.

José Calhoa, Nuno Canilho e Cláudia Melo

“A ideia é ser uma rede itinerante, onde a escola estará uma vez por semana em cada freguesia a receber e trabalhar nas candidaturas. Para além disso, a parceria com o mundo empresarial será importante em contexto de formação e a colaboração com o Município permitirá que algumas formações possam ser ministradas em escolas desativadas”, explicou ainda Cláudia Melo, garantindo que esta candidatura estabelece à partida “uma proximidade às pessoas, indo buscar pessoas às freguesias que autonomamente não conseguem manifestar essa vontade”.

Para já, e para quem tem mais de vinte e três anos e pretende concluir o 9.º ou 12.º ano, a EPVL está a aceitar pré-inscrições, tanto de candidatos oriundos do concelho da Mealhada, como também de outros municípios.

 

EPVL quer cursos EFA

Ao «Bairrada Informação», José Calhoa, assessor na EPVL, avança que o próximo objetivo da escola “é ter cursos de Educação e Formação para Adultos, que atualmente só existem na rede pública”, uma vontade já manifestada à DGEstE (Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares).

“Tratam-se de cursos profissionais e escolares para adultos, com mais de vinte e três anos, e que também não tenham concluído o nono e 12.º anos”, acrescentou ainda.

 

Mónica Sofia Lopes