A localidade da Vacariça, no concelho da Mealhada, vai ser palco, pelo segundo ano consecutivo, do Trail Solidário pela Hipertensão Pulmonar, que se realiza no próximo domingo, 24 de novembro. Tal como nas edições anteriores, a prova contará com a presença de Aurora Cunha, antiga atleta campeã mundial de estrada e madrinha da Associação Portuguesa de Hipertensão Pulmonar. As inscrições decorrem até quarta-feira, dia 20, e contam já com cerca de duzentos e cinquenta participantes de vários pontos da região.

Este será o quarto Trail pela Hipertensão Pulmonar, uma prova desportiva solidária que se realizou durante dois anos em Casal Comba e vai agora para o segundo ano consecutivo na localidade da Vacariça. “O principal objetivo deste evento é o de divulgar a Hipertensão Pulmonar Tromboembólica Crónica, uma doença rara e de diagnóstico difícil”, explica Teresa Carvalho, da Associação Portuguesa de Hipertensão Pulmonar, acreditando que ao alertar “o público para os principais sintomas e implicações da doença se poderá evitar a perda de muitos doentes que se encontram por diagnosticar”.

Numa organização da Associação Trilhos Luso Bussaco e da Associação Portuguesa de Hipertensão Pulmonar, a quarta edição do “Trail da Hipertensão Pulmonar” constituído por um trail de quinze quilómetros (com cronometragem e classificações) e uma caminhada de dez, com nível de dificuldade médio/baixo, a partida acontece pelas 9h 30m do Pavilhão Municipal da Vacariça.

No trail, os concorrentes da prova distribuir-se-ão por escalões masculinos e femininos: Seniores dos dezanove aos trinta e nove anos; veteranos M40 dos quarenta aos quarenta e nove anos; veteranos M50 dos cinquenta aos cinquenta e nove anos; veteranos M60 mais de sessenta anos. No final existirão prémios para os três primeiros atletas masculinos e femininos na geral; para os três primeiros de cada escalão; e para as três primeiras equipas, constituída por cinco atletas, independentemente do género. A equipa mais numerosa a terminar o trail ganha um leitão assado.

As inscrições na prova, até esta quarta-feira, devem ser feitas em https://www.runmanager.net/Eventos/iv-trail-pela-hipertensao-pulmonar/491, sendo o valor da inscrição – 10 euros – revertido diretamente para a Associação Portuguesa de Hipertensão Pulmonar. Cada inscrito tem direito a um dorsal, uma t-shirt, um seguro de acidentes pessoais e ao “abastecimento” a meio do percurso e no final.

O secretariado do evento estará aberto das 16h às 19 horas do dia 23 de novembro, na Escola Profissional Vasconcellos Lebre, e das 7h 30m às 9 horas no dia 24 de novembro, no Pavilhão da Vacariça.

Os interessados em mais informações devem contactar o número de telefone 914 127 716 e/ou o correio eletrónico associacaohipertensaopulmonar@gmail.com.

 

Associação de Hipertensão Pulmonar luta por estatuto de doença crónica

Para além da sensibilização da doença, a Associação Portuguesa de Hipertensão Pulmonar “luta” pelo estatuto de doença crónica perante a lei. “É uma doença incapacitante, que deixa as pessoas cansadas só de subirem um lancil de escadas, mas que não permite que estes doentes tenham o dístico de deficiência para os deixar estacionar perto quando vão, tão somente, às consultas nos hospitais”, lamentou, ao nosso jornal, Teresa Carvalho, assistente da direção da Associação, garantindo que “já foram três vezes à Assembleia República falar da situação”.

Com um diagnóstico difícil, Teresa Carvalho enfatiza que “muitos dos médicos de família não estão sensíveis para a doença” e alerta para o facto destes doentes não deverem ser considerados “trabalhadores normais” perante as entidades patronais. “Não queremos que deixem de trabalhar, mas terem um horário normal é limitador perante o cansaço que sentem”, afirma.

 

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografias de José Moura referentes a edições anteriores