A cerimónia de abertura da festa literária Folha foi o momento escolhido para a inauguração da escultura de Pedro Figueiredo, intitulada “Filha da Natureza”, uma obra “agarrada” a uma árvore situada na zona central do Parque das Artes na Curia.

“Há uns anos passeava na Praça da República, em Coimbra, e vi um ramo de umas árvores a entrelaçar num candeeiro de rua”, começou por explicar o artista, responsável pela obra da Cindazunda em Coimbra, afirmando que achou “tanta piada” que começou a colocar “isso” nas suas obras.

“A Natureza absorve, abraça-nos e é isso que vai acontecer nestes espaços vazios entre a escultura e a árvore, onde esta vai acabar por agarrá-la”, continuou Pedro Figueiredo, explicando que o seu trabalho é sempre feito numa perspetiva “de vista por baixo” e, por isso, se justifica “os pés grandes e a cabeça pequena”.

Teresa Cardoso, presidente da Câmara de Anadia, desvendou ainda que “no próximo ano, nos cento e vinte anos da Sociedade das Águas da Curia, será inaugurada ‘A Deusa’ (do mesmo autor) na rotunda junto à entrada do Parque”.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografia de José Moura