A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica levou a cabo uma fiscalização de trânsito de produtos vitivinícolas – uvas -, na passada terça-feira, na zona de Cantanhede. Das cento e vinte e cinco toneladas de uva e dezasseis de bagaço não houve registo de qualquer apreensão.

A operação decorreu a nível nacional e, para além do trânsito de produtos vitivinícolas, foram fiscalizadas as declarações obrigatórias e feitos controlos à atividade dos operadores económicos. Ações, aliás, que Ana Oliveira, Inspetora Chefe da Unidade Nacional de Operações da Divisão de Informação Pública da ASAE, em declarações ao nosso jornal, garante serem efetuadas ao longo de todo o ano, dispondo o organismo “de brigadas especializadas para a fiscalização no setor”.

Relativamente à operação que se realizou na zona de Cantanhede, incidiu sobre a fiscalização de trânsito no transporte de uvas, onde foram inspecionados “sessenta veículos de transporte de uvas e bagaços”, num total “de cerca de cento e vinte e cinco toneladas de uva e dezasseis toneladas de bagaço, não tendo sido detetada qualquer infração ou apreensão de produto”.

O balanço final representa que todas as uvas fiscalizadas faziam parte da área vitivinícola delimitada com a designação Beira Atlântico, onde está inserida a DO BAIRRADA, podendo os produtores circular livremente na região.

Já sobre a escolha do local, concretamente em Cantanhede, Ana Oliveira explica que “foi efetuada de acordo com os critérios operacionais designadamente ao nível da identificação de locais preferenciais de circulação do produto a fiscalizar”, tendo, neste caso, o alvo sido um ponto estratégico à passagem de carregamento de uvas, numa época forte para a região da Bairrada, com a realização das vindimas.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografia de José Moura