O executivo da Câmara da Mealhada aprovou, na manhã de ontem, um apoio de 70 mil euros para a obra de ampliação e requalificação da valência de Idosos do Centro de Assistência Paroquial de Pampilhosa. A verba foi atribuída por unanimidade, mas a oposição lamentou o facto “de a instrução do processo ser omissa no que respeita às intervenções e orçamentos referentes à despesa”.

A verba disponibilizada pela autarquia mealhadense, no valor de setenta mil euros, ao CAPP, junta-se à anterior, de trinta mil, aprovada há já uns meses. Mas para os vereadores da coligação “Juntos pelo Concelho da Mealhada”, “sem prejuízo de reconhecer a necessidade de intervenção no Centro de Idosos do CAPP”, há, contudo, uma “estranheza pela instrução do processo ser omissa no que respeita às intervenções e orçamentos referentes à despesa”.

Referindo-se a outra Instituição Particular de Solidariedade Social do concelho, situada em Barcouço, Hugo Silva afirmou que esta “foi apoiada pelo Orçamento Participativo e não de um apoio extraordinário do Município”. E, por isso, comparando com o suporte votado esta segunda-feira, o vereador da oposição defendeu que “a similitude em termos de processo não é nenhuma”.

Na mesma reunião, houve ainda um pedido de apoio por parte da Casa do Povo da Vacariça, tendo Rui Marqueiro, presidente da autarquia, relembrado que “a 12 de abril foram atribuídos vinte mil euros” para uma intervenção. Sónia Branquinho, da coligação “Juntos pelo Concelho da Mealhada”, sugeriu que seja pedida à instituição “um relatório da obra e do que já foi feito até agora”, ficando a autarquia a aguardar “a execução financeira”.

Antes da ordem do dia, a oposição solicitou que sejam apresentados os relatórios referentes a diversas situações, nomeadamente, de contas da Festame e Catrapim; do impacto da participação do Município em feiras de turismo, como Bolsa de Turismo de Lisboa e Feira Internacional de Turismo; de processos judiciais em que a Câmara está envolvida; bem como de vencimentos e despesas de representação do executivo municipal.

 

Mónica Sofia Lopes