O executivo municipal de Anadia aprovou, na manhã de ontem, uma proposta de protocolo entre o Município de Anadia, as Freguesias de Avelãs de Cima, de Moita e de Vila Nova Monsarros e quatro associações que farão vigilância florestal durante o período crítico de incêndios que se avizinha.

Associação Cultural e Recreativa de Algeriz; Associação de Apoio Florestal e Ambiental de Avelãs de Cima; Associação de Proteção Florestal de Corgo, Pardieiro, Boialvo, Mata, Figueira e Candieira; e Associação de Voluntários de Ferreiros serão as responsáveis pela vigilância nos próximos meses, nas freguesias de Anadia (consideradas pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas de 1.ª e 2.ª Prioridade), especificamente de 1 de julho a 30 de setembro, ficando em aberto o período poder ser alargado se as condições atmosféricas assim o exigirem.

A Câmara Municipal de Anadia disponibiliza viaturas motorizadas, equipamento de identificação (como camisolas e coletes) e de comunicação e ainda atribui um subsídio de catorze mil euros a cada associação, o que perfaz um total de cinquenta e seis mil euros.

No total existirão oito equipas, com dois vigilantes cada uma. A cargo das associações ficarão os gastos com o combustível, o seguro dos vigilantes e ainda o valor a atribuir aos mesmos. Também os mapas de assiduidade e o tratamento dos equipamentos serão da responsabilidade das quatro entidades.

Na reunião camarária, Teresa Cardoso, presidente da Câmara de Anadia, informou que, na tarde de ontem, “ia decorrer uma reunião no Posto da GNR para melhor esclarecimento das associações, para depois também elas conseguirem prestar melhores esclarecimentos a quem as consultar, nomeadamente sobre a limpeza das florestas”. “Estes vigilantes ficarão  mais atentos para qualquer situação menos clara”, referiu, garantindo que estão já definidos “os percursos para cada associação”.

A autarca disse ainda que também o Posto de Vigia do Moinho do Pisco terá vigilância a partir a de 1 de julho. Uma ação que está a cargo da Guarda Nacional Republicana em articulação com a Administração Interna e que, no próximo ano, segundo Teresa Cardoso “poderá começar a vigilância mais cedo, pois tudo indica que (o posto) venha a ser considerado como prioritário na rede primária”.

Na mesma sessão foi ainda aprovada a isenção do pagamento de inscrição de catorze crianças da Casa de Acolhimento Residencial para crianças e jovens em perigo, da Misericórdia de Sangalhos, para participarem no Programa de Férias Desportivas e Culturais do Município de Anadia.

 

Mónica Sofia Lopes