A mostra de fotografias “Bussaco nas 4 estações do ano – a fauna e a flora” já passou por oito destinos diferentes e foi vista por mais de um milhão de pessoas. Quem o garantiu, na noite do passado sábado, dia 3 de novembro, foi António Gravato, presidente da Fundação Bussaco, aquando da inauguração da exposição, no Cineteatro Messias, na Mealhada. As entradas são gratuitas.

A exposição “revela o olhar de cento e vinte fotógrafos sobre a fauna e a fora da Mata Nacional do Bussaco”, cujas imagens foram capturadas de 20 de março de 2016 a 18 do mesmo mês do ano seguinte. “Refletem a riqueza do património arquitetónico e natural dos cento e cinco hectares de mata, local de alimento, abrigo e refúgio para mais de meia centena de espécies, tanto vegetais como animais”, explicam os promotores da exposição, as Fundações Bussaco e Luso.

“O bom filho regressa sempre a casa»”, começou por dizer António Gravato, acrescentando que “a exposição saiu há mais de um ano do Casino do Luso rumo a Aveiro, Figueira da Foz, Casino do Estoril, Oeiras, Tróia, Business School e, hoje, regressou a casa, à Mealhada”.

“Estamos certos de que esta exposição ajudou a divulgar e a valorizar a Mata do Bussaco e o concelho da Mealhada, uma vez que foi vista por mais de um milhão de pessoas. Foi mais um passo importante no nosso trabalho”, declarou o presidente da Fundação Bussaco, garantindo que o foco “é sempre o de se chegar a Património Mundial da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura)”.

A exposição, financiada pela Fundação Luso, foi, e segundo António Gravato, “um projeto com enorme sucesso, que passou por espaços com grande dignidade” e é o resultado de um concurso promovido pela Fundação Bussaco.

Lucinda Grilo, da Cordinhã, arrecadou o primeiro lugar, tendo recebido uma máquina fotográfica Leica V-Lux; Hugo Ferreira, de Mortágua, ficou em segundo lugar e ganhou um Curso de Fotografia Digital no Instituto Português de Fotografia; e Artur Tomaz, de Viseu, ficou em terceiro lugar, tendo ganho uma Formação Intensiva em Artes Visuais – Fotografia (quinze dias) oferecida e ministrada pela Escola Superior Artística do Porto.

Recordamos os nossos leitores que o concurso teve como elemento do júri, Daniel Rodrigues, fotojornalista do “The New York Times”, vencedor do “World Press Photo 2013”, e, em 2017, considerado o fotógrafo Iberoamericano do Ano, ao vencer a competição “Picture of the Year International”.

Também na noite do passado sábado, o Cineteatro Messias recebeu o concerto dos Lucky Duckies, um espectáculo visto por mais de três centenas de pessoas.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Galeria de fotografias, de JOSÉ MOURA, em https://www.facebook.com/bairradainformacao/