Terminou hoje, domingo, 15 de julho, a XIV Pampiarte – Mostra de Artes da Freguesia da Pampilhosa, que se realizou na Escola Básica n.º 1 do Freixo, desde a passada sexta-feira. Um certame que, segundo a presidente da Junta de Freguesia, poderá, nos próximos anos, “vir a crescer”.

Integrada nas Festas de Santa Marinha, a Pampiarte “tem vindo a crescer, ano após ano”, o que leva Rosalina Nogueira, presidente da Junta de Freguesia da Pampilhosa, a colocar a hipótese de um novo espaço para o evento. “Este é um certame que é para manter e até melhorar”, começou por dizer a autarca, explicando que “uma vez que a Pampiarte se realiza pela altura das Festas de Santa Marinha, o que fará mais sentido é homogeneizar-se tudo”.

Rosalina Nogueira garante, contudo, que tal “não será para 2019”, mas enfatiza que “nos próximos anos tem mesmo que se pensar num novo espaço que satisfaça todos os envolvidos”.

Organizado pela Junta de Freguesia, o evento de 2018 contou com um orçamento de perto de cinco mil euros. “São dezoito expositores, todos da freguesia da Pampilhosa, com exceção de dois comerciantes que vêm de Anadia e Cantanhede», disse ainda, ao «Bairrada Informação», Rosalina Nogueira.

Para além dos stands, onde o artesanato prevalece, o certame teve duas exposições, uma de “Brinquedos (antigos)”, feita com artigos “emprestados” pela população, e outra de artes decorativas, realizada por artesãs da Pampilhosa.

No dia da inauguração, e a participar pela terceira vez, encontrámos Sara Lindo, da Cugumilus, da Pampilhosa. “É uma feira muito boa, onde vêm as pessoas da terra. Para além disso, divulgam-se os produtos locais”, referiu, enaltecendo que o evento “é uma mais-valia para a freguesia”.

Com empresa criada desde maio passado, participaram também no certame Sandra Alegre e Filipa Melo, da “Granola by home”, do concelho de Anadia. “Tivemos indicação de uma pessoa conhecida para participar nesta feira. Como estivemos em Anadia e Oliveira do Bairro e correu muito bem, resolvemos vir experimentar”, disseram.

O evento contou com as participações da Filarmónica Pampilhosense, GEDEPA (Grupo Etnográfico de Defesa do Património e Ambiente da Pampilhosa), NKP – Núcleo de Karaté da Pampilhosa e Grupo Regional da Pampilhosa do Botão.

 

Mónica Sofia Lopes