Qual a base perfeita para mim?

Esta é a pergunta que surge sempre que quer comprar uma base! Qual será o meu tom?

Pois bem, antes de se preocupar com o tom da base perfeito, preocupe-se sim, com o tipo de base mais adequado ao seu tipo de pele e só depois vamos falar do tom!

Uma base errada, e não estamos a falar de usar tons mais escuros ou mais claros, pode trazer consequências desagradáveis: reações alérgicas, secura da pele ou, em última análise, simplesmente não corresponder ao resultado que esperava ter – ou seja, mais valia não ter posto nada. E mais: só porque uma base é tão conhecida e tantas “beauty bloggers” falam dela, não significa que seja também a base perfeita para si. O grande enigma a resolver? Tendo em conta o seu tipo de pele e as necessidades que tem, descobrir quais as bases adequadas.

 

Para peles com tendências acneicas:

Quem sofre com o acne adulto sabe que encontrar uma base que não provoque (ainda mais) acne pode ser uma missão impossível. Aqui, o objectivo é matar dois, ou neste caso três, coelhos de uma cajadada só:

1º usar produtos que sejam livres de substâncias irritantes, como fragrâncias, parabenos ou óleos (opte por “oil free”);

2º que sejam enriquecidos com ingredientes ativos de combate ao acne;

3º que tenham uma textura que cubra, e esconda, este problema.

 

Para peles baças e sem brilho:

Os meses de inverno tendem a apagar o brilho da nossa pele – aquele que temos durante o verão graças à praia, ao sol, às férias e ao tão mais elevado estado de espirito…

Para o combater, as armas secretas são as bases que contenham ingredientes hidratantes e refletores de luz porque vão criar um brilho natural. Assim, pode dizer adeus ao look “sem vida”.

 

Para peles secas e sensíveis:

Está a ver aquele odioso efeito desidratado com que fica a pele, quase como se estivesse gretada? O mais provável é estar a sufocá-la com camadas e camadas de uma base errada que, quanto mais aplica, pior fica. Peles secas e sensíveis querem produtos livres de óleos, químicos, parabenos, fragrâncias e que garantam hidratação extra porque, ao ter poucas barreiras de proteção, uma base que não proteja e hidrate vai anular a pouca proteção que a pele já tem.

 

Para peles oleosas:

No extremo oposto da seca, uma pele oleosa vai produzir ainda mais sebo quando confrontada com produtos errados. Nestes casos, as bases devem ter acabamentos matte (oil-free), de forma a absorver o excesso de óleo e impedi-lo de vir à superfície da pele.

 

Para peles normais e mistas:

A pele normal é aquela que tem uma fisiologia regular, ou seja, sem excessos nem carências. No entanto, o tipo de pele mais comum é a mista e caracteriza-se pela famosa zona T (testa, nariz e queixo) com oleosidade e outras zonas com secura. E para estas peles os melhores produtos são os “oil free” e à base de água porque se vão adaptar perfeitamente a todas as zonas do rosto.

 

Para peles maduras:

Os ingredientes que usamos nos cremes anti-idade, também podem ser usados na maquilhagem para um cuidado extra. Desde antioxidantes aos hidratantes super fortes, as bases para peles maduras têm de, basicamente, ajudar a reverter o “tic tac” do relógio.

 

Antes de comprar a sua base, e escolher o tom perfeito para si, analise a sua pele e saiba qual o tipo de base que deve procurar!15823407_1488363574522056_7313566419030558738_n

Ah… e ao escolher o tom, coloque uma camada fina na sua mandíbula (entre o rosto e o pescoço) e verifique se não se notam diferenças, para não correr o risco de criar o tão indesejado “efeito máscara”!

 

Sandra Lourenço

Certified MakeUp Artist

www.facebook.com/makeup.sandralourenco

www.instagram.com/sandralourenco22