Com vista a assegurar um desconfinamento em segurança para as crianças e respetivas famílias, o Município de Oliveira do Bairro iniciou no passado dia 23 de março o processo de testagem massiva, o qual incluiu, numa primeira fase, todas as crianças do pré-escolar e do 1º ciclo. No total foram realizados cerca de 1350 testes rápidos de saliva, os quais revelaram resultados negativos à COVID-19.

O processo de testagem massiva que acompanha a estratégia de desconfinamento traçada pela tutela será retomado após a páscoa com a realização dos testes rápidos de saliva ao 2.º e 3.º ciclo que inicia as aulas esta semana.

Apesar de o Governo assegurar a realização dos testes rápidos de antigénio aos alunos do ensino secundário, o Município de Oliveira do Bairro considera que é importante que todas as crianças do concelho sejam testadas. Para Duarte Novo, Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, “o desconfinamento seguro e eficaz é aquele que é acompanhado de uma testagem massiva, permitindo-nos evitar focos de contágio e quebrar cadeias de infeção, justificando plenamente este investimento de 45 mil euros em testagem na reabertura das escolas”.

Para a testagem às crianças do pré-escolar ao 3.º ciclo, a autarquia apostou nos testes de saliva, atendendo que se trata de um processo não invasivo. Apontados por muitos especialistas como uma boa solução de testagem, a qual já se encontra registada no INFARMED e disponível no mercado Português desde o dia 30 de dezembro de 2020, o autarca considera que, numa fase em que se prepara o regresso à escola, é fundamental que todos se sintam seguros. No concelho de Oliveira do Bairro, não deixamos ninguém para trás e, à semelhança das crianças do pré-escolar e do 1.º ciclo, também as restantes do 2.º e 3.º ciclo serão testadas no momento em que regressarem à escola.”

Questionada sobre a possibilidade de vir a repetir o processo de testagem, Lília Ana Águas, Vereadora da Educação e Saúde, revela que “sempre que necessário, voltaremos a testar as crianças. O importante é que todos se sintam seguros, tanto as crianças como as respetivas famílias”.