Com a lotação reduzida a metade e novas regras de higiene implementadas, cumprindo assim as normas impostas pela Direção Geral da Saúde, o Cineteatro Messias, na Mealhada, apresentou, esta terça-feira, o seu programa cultural para o primeiro semestre de 2021. Nomes como Tim (vocalista e baixista dos Xutos e Pontapés), Eduardo Madeira, a dupla de comediantes Quim Roscas e Zeca Estacionâncio, Os Azeitonas e Nuno Markl são alguns dos artistas nacionais que subirão ao palco do dito espaço cultural.

Ladeado pelos representantes das entidades parceiras do Cineteatro Messias – Grande Hotel de Luso, Rei dos Leitões e Caves Messias -, Rui Marqueiro, presidente da Câmara da Mealhada, apresentou o programa, que considera «variado», indo desde «a música clássica ao humor, que o público tanto gosta! Um trabalho feito com muito empenho e paciência». «Este é o caminho que há muito traçamos para este espaço, mas que a pandemia desvaneceu», continuou o autarca, explicando que «apesar das dúvidas se devíamos, ou não, reabrir, decidimos que o deveríamos fazer. É importante voltar a ter cultura nesta casa e dar alguma alegria às pessoas».

Rui Marqueiro tem ideia de que no primeiro semestre de 2021 «não será possível ter a sala completamente cheia e voltar à normalidade de lotação dos lugares», recordando, contudo, que «houve alturas em que foi insuficiente para tanta procura de espetáculos».

E os parceiros aplaudem. «Como vem sendo hábito, esta é uma programação muito diversificada», começou por elogiar Licínia Ferreira, do Rei dos Leitões, enaltecendo a importância «do que a Câmara está a fazer». «As pessoas precisam muito disto!», referiu, acrescentando ainda que, em termos de negócio, o restaurante que gere «nota um acréscimo de clientes nos dias de espetáculo, nomeadamente de concelhos vizinhos».

Das Caves Messias, também Margarida Messias, enalteceu a iniciativa, mas também o espaço, construído pelo seu avô. «O meu avô tentou levar a Mealhada ao mundo através do fado e do vinho do Porto», disse. Já João Diniz, presidente do conselho de administração do Grande Hotel de Luso, lamentou que «a sala estivesse “despida” de imprensa», defendendo que «é muito importante falarmos em cultura para também se dar relevo à classe dos artistas».

Do programa consta uma palestra motivacional com Paulo Azevedo a 22 de janeiro, pelas 17h00; seguindo-se, no mesmo mês, a revista «A história de João Pateta» a 23; e Eduardo Madeira, com Manuel Marques e Carlos Vidal, na noite de 30. Os Azeitonas sobem ao palco do Cineteatro Messias a 6 de fevereiro e Olla Tshou (reggae) no dia 27 do mesmo mês. A 6 de Março, o palco é de Tim e no dia 13 «Os três porquinhos». Nuno Markl tem espetáculo agendado para dia 3 de abril e a orquestra «A história do soldado de Stravinsky» a 23. «Quim Roscas & Zeca Estacionâncio» vêm a 8 de maio de 2021.

No dia 23 de janeiro, será inaugurada a exposição do artista concelhio Francisco Saldanha, denominada «Nem eu sabia que sabia fazer», que estará patente até dia 30 de junho.

Os interessados em mais informações devem fazê-lo através dos contactos 231 209 870 e/ou teatromessias@cm-mealhada.pt.

 

Mónica Sofia Lopes