Decorreram na tarde de ontem, 25 de outubro, as eleições da Juventude Popular Distrital de Aveiro onde foram eleitos os novos membros da Comissão Política Distrital e da Mesa do Conselho Distrital. Marco Dias Carvalho, de 23 anos, natural de Mogofores (Anadia), foi eleito presidente da Comissão Política para o biénio 2020-2022.

Marco Dias Carvalho é licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, local onde se encontra a terminar o mestrado. Liderava anteriormente a concelhia da JP Anadia, sendo ainda membro do Conselho Municipal de Juventude em representação da mesma. No CDS-PP é vice-presidente da Comissão Política Distrital.

Acompanham-no na lista da comissão como vice-presidentes: Tomás Petiz da Silva (Espinho), Maria Miguel Resende (Águeda), Gonçalo Soares (São João da Madeira), Alexandre Marques (Vagos), António Pato (Oliveira do Bairro) e Filipe Marques (Albergaria-a-Velha). Também de Albergaria-a-Velha está a secretária distrital, Diana Fedchyshyn.

São vogais: Ricardo Martins (Arouca), Inês Sousa (Ovar), Gonçalo Damas Pereira (Oliveira de Azeméis), Marta Sequeira (Anadia), Tatiana Maia Tavares (Sever do Vouga), Rita Ferreira Ramos (Águeda), Lourenço Ribeiro (Espinho), Liliana Cruz (Vagos), Bárbara Silva (Albergaria-a-Velha), Nuno Rocha (Arouca), Diana Sili (Albergaria-a-Velha), Carlota Miranda (Anadia), Francisco Bastos (Oliveira do Bairro), Diogo Veloso Fernandes (Espinho), Pedro Moura (Oliveira de Azeméis), João Marçal (Aveiro) e Duarte Almeida (Oliveira do Bairro).

Já a Mesa do Conselho Distrital é presidida por António Marques Baptista, de Espinho, tendo na sua equipa como vice-presidente Vanessa Loureiro (Sever do Vouga) e como secretário Marcelo Barreto (Anadia).

Como prioridades para o seu mandato, Marco Dias Carvalho aponta “as autárquicas de 2021 – onde a juventude do distrito terá um papel fundamental a desempenhar para que o CDS-PP obtenha um bom resultado eleitoral -, e ainda as preocupações dos jovens acerca da próxima crise financeira, em que a educação, o emprego e a habitação serão áreas que a JP deve estar muito atenta, procurando medidas e soluções para a pressão que certamente irão sofrer”.

“Internamente, elege a união e a coesão entre todos os dirigentes como pedra basilar deste mandato, na medida em que o trabalho e a dedicação devem estar afinados numa lógica coletiva, de equipa e, por conseguinte, de proveitos comuns para o distrito e para todos os que se sentem defendidos através da nossa ação política”, lê-se num comunicado remetido aos órgãos de comunicação social.