No âmbito da “Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030” delineada por António Costa Silva, e tendo em conta a importância deste documento para o futuro do País, o Conselho Intermunicipal da CIM Região de Coimbra enviou um documento ao Governo com uma reflexão e discussão concertada, depois de auscultado o Conselho Estratégico para o Desenvolvimento Intermunicipal da Região de Coimbra.

Segundo o documento remetido, a afirmação da Região de Coimbra como região metropolitana, a afirmação de Coimbra como Região de Saúde e a necessidade de um modelo de governança ágil e desburocratizado são vetores essências que a Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica de Portugal 2020-2030 deve contemplar.

«O excesso de centralismo não produz bons resultados, tendo sido evidente no atual contexto da pandemia COVID-19 o papel fundamental das comunidades intermunicipais e autarquias locais na luta contra a disseminação da pandemia», destacam os autarcas.

A metropolização de que a Região e o País precisam, afirmam, deverá ser ancorada na concretização de investimentos âncora como o Aeroporto da Região do Centro, um sistema de transportes de carácter metropolitano e modernização das ligações rodoferroviárias e ferroviárias com ligação internacional. A necessidade de concluir investimentos rodoviários há muito planeados e, em muitos casos, até já iniciados é também destacada pelos autarcas.

No mesmo sentido, reiteram, devem ser asseguradas as opções consequentes de especialização territorial, nomeadamente o reconhecimento da importância de Coimbra e da sua região no setor da saúde.

«A saúde é uma marca de Coimbra e da sua região. O país deve reconhecer este investimento e caminho feito e reafirmar Coimbra e a sua Região como Região de Saúde, priorizando aqui os investimentos que permitem aprofundar esta estratégia de especialização inteligente» garantem, dando ainda alguns exemplos dos investimentos prioritários para a região nesta área. 

Os autarcas mostram-se ainda preocupados com a falta de propostas concretas nas áreas da demografia ou do envelhecimento ativo e saudável, e remetem contributos nesses domínios. No mesmo documento, os governantes elencam um conjunto de propostas concretas que consideram indispensáveis para o desenvolvimento estratégico, que alavanca o próprio desenvolvimento de toda a Região de Coimbra e Região Centro, exortando que se cumpra o previsto no Plano Nacional de Investimentos já aprovado na Assembleia da República.

 

 

Fonte: Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra

Imagem: falco (https://pixabay.com/pt)