Parte de um muro demolido na Casa do Povo da Vacariça, e que possuía uma imagem referente ao «XV Centenário do Nascimento de São Bento» e «em memória do antigo Mosteiro da Vacariça», gerou polémica nas redes sociais com a autora da publicação a designar a situação de «crime». Carlos Costa, presidente da direção da instituição, garante que «a forma como os azulejos estavam colados, não dava para os retirar», mas que será colocada uma réplica fiel à original no mesmo local.

Imagem de Paulo Bonifácio

O muro que se situa à entrada da instituição «foi partido ao meio por uma palmeira, em outubro de 2018, com a passagem da Leslie», garante o dirigente da Casa do Povo da Vacariça, acrescentando que a obra de reabilitação foi adjudicada em dezembro desse ano. «A imagem está colada em cimento e adobes de cimento e não conseguimos remover sem danificar», explicou ainda.

Carlos Costa adianta ainda que «foram tiradas fotografias de vários ângulos, assim como guardado algum do material, para que a imagem seja recolocada no mesmo sítio e fiel à original integralmente, com a devida referência ao ano de restauro». «O telhado da instituição foi reconstruído em 2012 e ninguém diz que não é o da sua génese», afiança.

Para além disso, o presidente da direção da Casa do Povo da Vacariça esclarece que a demolição está isenta de licença municipal «porque apenas vai ser reconstruído cerca de metro e meio de muro».

O projeto de reconstrução de parte do muro, de recolocação da imagem e de algumas movimentações de terras no jardim, faz parte de um projeto, já aprovado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, e que está orçamentado em cerca de 16 mil euros.

«Ainda hoje vou estar com o senhor que vai fazer a imagem», disse ainda Carlos Costa, garantindo que o tempo previsto para a obra está dependente deste trabalho relacionado com a peça.

Recordamos que a Casa do Povo da Vacariça tem cerca de meia centena de utentes e dá resposta às valências de Centro de Dia e Apoio Domiciliário. «Depois da obra exterior, temos previstas obras na área de lazer dos idosos, assim como uma alteração na cozinha e refeitório», remata o dirigente.

 

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Imagem de capa de José Moura