Os presidentes da Câmara da Mealhada, da Junta e Assembleias de Freguesia do Luso e da Vacariça, bem como a presidente da Assembleia Municipal da Mealhada, vão enviar um documento à Sociedade Central de Cervejas pedindo, «humildemente, que a Sociedade da Água de Luso não faça parte de uma eventual fusão de empresas integradas na Central de Cervejas».

O autarca diz-se «apreensivo» com a informação que obteve «há poucos dias», garantindo que «o desaparecimento da Sociedade da Água de Luso magoa o Município, a história do luso e todos os seus habitantes». «Estivemos do lado da Sociedade quando mudaram o engarrafamento do Luso, mas a verdade é que a Vacariça pouco ou nada ganhou e o Luso perdeu muito!», lamenta o edil.

Contactado pelo nosso jornal, Nuno Pinto de Magalhães, diretor de comunicação e relações institucionais da SCC, garante que «nada tem a comentar» sobre «um projeto embrionário que ainda está em discussão interna e com “stakeholders”». «Estranhamos este “disclosure” publico por parte da Câmara da Mealhada», remata.

 

 

Notícia publicada na integra brevemente