A Câmara Municipal da Mealhada e a Fundação Luso inauguraram, na noite do passado dia 21 de dezembro, no Cineteatro Municipal Messias, a exposição “Cultura e tradições do concelho da Mealhada”, uma mostra que ficará naquele local até ao final de dezembro de 2020.

Cada freguesia tem uma montra com painéis e artefactos que representam a sua identidade. Do samba ao rancho passando pela Filarmónica, ou do leitão à água do Luso com enfoque para o Bolo dos Cornos, nada foi esquecido nesta exposição. “Estamos perante uma riqueza muito grande que merece ser partilhada”, defendeu, aquando da primeira inauguração, Nuno Pinto Magalhães, presidente da Fundação Luso.

A exposição, que esteve de junho a outubro de 2019, patente no Casino do Luso, foi vista por mais de 6.300 pessoas, entre turistas, residentes locais e da região, alunos das escolas e associações de várias freguesias do concelho.

Depois de, no ano passado, a receita angariada em casa visitação – um euro por entrada – ter sido atribuída, pela Fundação Luso ao restauro da peça religiosa Santo Elias no Convento de Santa Cruz, a de este ano, no Casino Luso, será para a reabilitação da peça São João da Cruz, também no Convento do Bussaco, que tem, entre algumas fragmentações, um braço partido.

Após um ano de mostra no Cineteatro Messias, a exposição será oferecida às seis juntas de freguesia do concelho da Mealhada, conforme foi prometido por Nuno Pinto Magalhães no dia da inauguração, em junho, no Casino do Luso, onde cada uma assumirá a responsabilidade pela parte da exposição “que lhe pertence”.

Na inauguração do passado dia 21 de dezembro estiveram em representação da Câmara da Mealhada e da Fundação Luso, Arminda Martins e Noémia Calado.

As entradas na exposição são gratuitas e a visitação pode ser feita no horário de abertura ao público do Cineteatro Messias.

 

 

Mónica Sofia Lopes