Criar hábitos de vida saudável – físicos, psicológicos e sociais – na população, tornando-a mais feliz, é o mote fundamental do projeto “Atitude Agora (A2) – Desporto sem fronteiras”, apresentado, na manhã de ontem (17 de dezembro), na Mealhada. Autarquia, empresas, pessoas individuais e instituições estão, a partir de agora, unidas para intervir de forma positiva na vida das pessoas, através da atividade física, um projeto que conta com o apadrinhamento de Luís Castro, treinador português do Futebol Clube do Shakhtar Donetsk (Ucrânia), e que tem já como primeiro parceiro, a empresa de transporte rodoviário de mercadorias Rama, que apoiará “atletas / desportistas, com dificuldades económicas, dos seis aos dezoito anos”.

O Município da Mealhada dispõe de técnicos e de infraestruturas desportivas; as empresas dispõem de meios financeiros para apoiar quem precisa; e as instituições podem estar dos dois lados: a apoiar e a necessitar. E será através do desporto que todas estas comunidades se interligam e relacionam numa lógica de “Desporto sem fronteiras”. O destinatário, esse não podia ser mais abrangente: “a criança da família desfavorecida que já é acompanhada em termos sociais e que, pelo desporto, consegue integrar-se e enriquecer a sua vida social; mas também é o jovem cuja família não suporta, economicamente, mais uma atividade; o idoso que, associado ou de forma individual, pode, com o desporto, melhorar a sua qualidade de vida; ou ainda a instituição que pretende melhorar o dia a dia dos seus utentes”.

Na prática, qualquer entidade, como Instituições Particulares de Solidariedade Social, Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, setores ligados à saúde ou à educação, por exemplo, podem fazer a indicação aos técnicos da Autarquia, os responsáveis pela avaliação e encaminhamento às empresas parceiras. E, como ponto de partida, a Autarquia da Mealhada conta já com a parceria dos Transportes Rama, que incutem o espírito solidário na empresa e que consideram que este projeto “é feito de sentimentos”.

“O nosso objetivo é sempre o de criar valor às partes interessadas, motivando as pessoas”, declarou Luís Oliveira, sócio-gerente da empresa Rama, que “na gaveta” já tinha uma ideia semelhante designada “Transforma”. “Quem faz desporto e voluntariado tem uma forma diferente de estar na vida! Pessoas que praticam desporto têm uma felicidade diferente”, disse ainda, acrescentando que o objetivo da empresa é que “as classes sociais mais desfavorecidas consigam praticar desporto”. “Consideramos que cabe às empresas fazerem este papel de dinamizadores sociais”, rematou.

Para o padrinho do projeto, o ex-treinador do Futebol Clube do Porto, mas também do Grupo Desportivo da Mealhada, clube que abraçou em 2000/2001, Luís Castro começou por dizer que sempre apreciou muito “as pessoas que fazem, em detrimento de outras que apenas vivem. Ao perceber o sucesso que este projeto vai ter, aceitei logo o desafio”. “Quando estive no Futebol Clube do Porto lidei com famílias desfavorecidas, mas também com muitos que, apesar da capacidade financeira, não tinham a capacidade mental para estarem ligados a uma atividade”, explicou, concluindo: “Tenho a certeza que voltaremos a estar aqui e serão os jovens a validar este projeto, que é transversal a toda a gente”.

Os interessados em mais informações podem fazê-lo através de sentiravida@cm-mealhada.pt; 924 435 030; e/ou 231 200 980 (extensão 602).

 

Mónica Sofia Lopes