Com metade do mandato praticamente feito, muitas são as obras e os melhoramentos que Rosalina Nogueira, presidente da Junta da Pampilhosa, quer fazer nos próximos dois anos. Cemitério do Canedo, entrada sul da vila, lavadouros no Rio de Cima, zona Alta da Pampilhosa e até a homologação de um percurso pedestre, que está a ser pensado em parceria com uma associação, são muitas das intenções de benfeitorias que o atual executivo da Junta pretende levar a cabo.

No Canedo estão previstos melhoramentos no Cemitério com pinturas exteriores e interiores, bem como na Capela do próprio cemitério, que a presidente da Junta da Pampilhosa garante estar “sem dignidade”. “Temos o projeto e medições feitas, vamos para a fase de lançamento de convite a empreiteiros”, adiantou, ao nosso jornal, a autarca, explicando que “a Capela do Cemitério terá um acesso direto para o exterior” e que possivelmente terá também um estacionamento. “Estamos em negociações para adquirir um terreno na sua envolvente”, disse, sobre um espaço onde irão intervir nas instalações sanitárias e no telhado, devastado depois da tempestade Leslie.

Outra das obras, com levantamento topográfico já feito, é a realização de um Parque de Merendas nos Lavadouros do Rio de Cima. “Já ali procedemos a plantações de árvores, agora queremos fazer estacionamento, sanitários e churrasqueira”, explica, adiantando que depois do levantamento topográfico, poderão avançar para o projeto.

Na entrada sul da vila, da rotunda do barro até aos semáforos, junto ao campo de futebol, serão também feitos melhoramentos, assim como na zona Alta da Pampilhosa, onde a intervenção focará as valetas para escoamento das águas. “As estradas são apertadas e há casa antigas, mas tentaremos proceder ao embelezamento das ruas da forma que nos for possível”, disse Rosalina Nogueira, relembrando que “a Câmara da Mealhada tem mecanismos, nomeadamente um programa de recuperação urbana, para ajudar na requalificação das casas degradadas”.

Rosalina Nogueira adianta ainda que está a ser pensado um percurso pedestre, com cerca de catorze quilómetros, numa parceria com a Associação Cultural e Desportiva dos Pescadores da Pampilhosa. “Queremos homologar este percurso para integrá-lo no roteiro do Clube de Caravanismo. Estamos certos que isto chamará pessoas à nossa freguesia”, enfatiza.

 

Apoio à natalidade e atividade física sénior nas prioridades da freguesia

O programa de natalidade lançado há um ano já deu apoio a uma dezena de nascimentos, onde por cada um a Junta atribui duzentos e cinquenta euros. “O bebé tem que ser registado na freguesia da Pampilhosa e o valor é pago mediante apresentação de faturas de compras realizadas também na freguesia, com o intuito de dinamizarmos o comércio local”, explica Rosalina Nogueira, acrescentando que, neste momento, estão aguardar diferimento quatro candidaturas.

Em relação à terceira idade, a presidente da Junta garante haver uma preocupação pela “saúde e bem-estar dos idosos da freguesia”. E, por isso, promovem, desde o mandato anterior presidido por Victor Matos, aulas de ginástica sénior duas vezes por semana, na Casa Rural Quinhentista.

“É uma atividade totalmente custeada pela Junta, que se realiza duas manhãs por semana com uma professora de ginástica e que já conta com quarenta alunos”, explica a autarca, enaltecendo ser esta “uma forma de manter os idosos ativos e cuidarem da sua saúde”.

Ao nível social e cultural, Rosalina Nogueira recorda a mostra de artesanato Pampiarte, que este ano assinala quinze edições. Um evento realizado pela Junta de Freguesia, sempre no mês de julho, aquando das Festas de Santa Marinha, e que, em 2019, conta com o tema das tradições “Do Entrudo à Páscoa”. Este ano, e no âmbito do certame, realizar-se-á também um torneio inter-freguesias de futebol Sub10 e Sub13.

Nas questões ambientais, a autarca garante que vai haver uma campanha municipal pelas freguesias do concelho, lamentando que ainda existam pessoas a colocar colchões e caixas de televisão nos passeios. “Estou a fazer de tudo para ter na freguesia um local para depósito dos monstros”, remata.

 

Mónica Sofia Lopes