Os Municípios de Anadia e Mealhada repartiram os custos de uma viatura que dará resposta à secção de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário, nos referidos concelhos, do Destacamento Territorial de Anadia da Guarda Nacional Republicana. O veículo, o primeiro elétrico agora num Posto do distrito de Aveiro, foi entregue na manhã da passada sexta-feira, dia 28 de dezembro.

Cerca de trinta mil euros foi o custo da viatura (valor que inclui os extras da caracterização) às Autarquias de Anadia e Mealhada, que fará agora face às áreas da Escola Segura e Apoio 65 – Idosos em Segurança nos dois municípios. Teresa Cardoso, presidente da Câmara de Anadia, explica que “esta é uma forma de rentabilizar recursos” uma vez que, neste caso, havia “disponibilidade financeira” de ambos para levar a cabo uma necessidade manifestada pelo capitão Cláudio Lopes, comandante do Destacamento Territorial de Anadia da GNR, que sugeriu também que a viatura fosse elétrica.

E Rui Marqueiro, presidente do Município da Mealhada, corrobora. “As Câmaras têm a missão de proteger a sociedade e, por isso, foi fácil para nós apoiar esta necessidade que a GNR tinha”, referiu.

Com uma capacidade de autonomia prevista em quatrocentos quilómetros, será a primeira viatura elétrica num Posto do distrito de Aveiro, que já possui uma híbrida em Santa Maria da Feira.

Ao receber a chave das mãos dos autarcas, o capitão Cláudio Lopes declarou que “estes protocolos entre a GNR e as Câmaras são importantes e garantem uma qualidade de meios que de outra forma não os conseguiríamos ter”.

A viatura estará ao serviço da secção de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário nos concelhos de Anadia e Mealhada, que tem afetos quatro militares. E apesar de garantir que nesta área a viatura faz face às necessidades sentidas, o comandante do Destacamento Territorial de Anadia da GNR garante “que há necessidades de outros veículos, dado o número elevado de quilómetros a que estão sujeitos”.

Também o Coronel Nélson Couto, Comandante Territorial de Aveiro da GNR, elogiou “a colaboração institucional com os dois municípios”. “Realizámos o nosso Dia Distrital na Mealhada, em breve será requalificado o Posto de Anadia e agora vemos ser atribuída uma viatura que tem como finalidade a segurança e proteção de pessoas e bens, referente a um serviço – jovens e idosos – importantíssimo para a sociedade”, declarou, felicitando “os Municípios por criarem melhores condições de trabalho aos militares”.

Também para 2019, se prevê o arranque das obras de requalificação no quartel da GNR em Anadia depois de, este ano, ter sido celebrado um  contrato interadministrativo entre a Câmara de Anadia, a Secretaria-Geral da Administração Interna e a GNR. O projeto da obra, na sua totalidade e com especialidades, está a ser financiado pela autarquia anadiense.

“Esta obra irá proporcionar melhores condições de trabalho, de estadia e de descanso aos militares. Vai permitir acolher um maior número de agentes (atualmente tem cerca de cinquenta) e ter espaços para formação e de exterior, nomeadamente, com sítios para proteção dos veículos”, referiu Teresa Cardoso, garantindo que o custo da obra, cujo o valor tudo indica que seja superior a meio milhão de euros, ficará com o Ministério da Administração Interna.

“Estamos a fazer de tudo para que a obra arranque em 2019”, rematou, adiantando que, nessa altura, “terá que ser pensada uma alternativa de local de trabalho para os militares”.

 

Texto de Mónica Sofia Lopes

Fotografias de JOSÉ MOURA